Oi pessoal, como estão? Depois de um mês de férias eu finalmente voltei. Durante a minha viagem eu não tive muito tempo para colocar a minha leitura em dia, ou seja, to com vários livros empilhados e se Deus quiser, um dia eu termino de ler todos. Bom, pelo menos um deles eu já terminei e eu apareci aqui hoje para falar dele.

Semana passada eu comprei o livro A Probabilidade Estatística do Amor à Primeira Vista” da escritora Jennifer E. Smith. Uma frase que define bem a história é: E se? E se Hadley não tivesse se atrasado por quatro minutos e perdido o seu voo? Bom, provavelmente nada dessa história fofinha teria acontecido.

a probabilidade estatística do amor à primeira vista

Naquela manhã Hadley já acorda imaginando que aquele seria o pior dia de sua vida, afinal estava indo para Londres para ir ao casamento de seu pai com alguma inglesa que ela nunca tinha visto na vida e aquilo para ela era com a celebração do fim de sua família. Não acreditava que sua mãe estava aceitando aquilo muito bem. Como aquele dia já estava fadado ao fracasso claro que ela conseguiu perder seu voo e teria que ficar horas presa no aeroporto até o próximo voo. Durante a espera Hadley conhece Oliver, um britânico fofo que graças ao destino senta-se ao seu lado na viagem para Londres. Durante as sete horas de viagem os dois conversam sobre a vida, sonhos, formas das nuvens, Charles Dickens, futuro e várias outras coisas. Porém ao chegarem à alfândega são obrigados a se separar e só Deus sabe se conseguiram se encontrar novamente. O destino age novamente e eles se encontram, mas nem tudo são flores.

Com “A Probabilidade Estatística do Amor à Primeira Vista” eu bati o meu record no tempo em que levei para ler um livro. Eu sentei na minha cama umas 18h com a intenção de ler apenas o prólogo e quando percebi já era 23h e eu já estava nas páginas finais. A escrita é simples e a leitura é muito fácil, sem contar que você se envolve na história e não quer parar de ler.

O relacionamento de Hadley e Oliver é construído aos poucos – mesmo que a história se passe em apenas 24 horas – mas não é como se eles tivessem acabado de se conhecer e já se amam e querem ter filhos, não. Eles conversam muito e tentam compreender os problemas um do outro. Não que Oliver fale abertamente sobre os seus, mas com o tempo Hadley começa a entender o jovem.

Segundo o livro pessoas que se encontram em aeroportos tem 72% mais chance de se apaixonarem que as pessoas que se encontram em outros lugares. To muito velha para querer fazer minhas malas e passar umas horas lá no aeroporto? Haha Vai que eu dou a sorte, não é mesmo?

Espero que gostem da indicação. Quais os livros que vocês estão lendo nesse final de férias?

Beijos.