7 coisas que eu não usaria!

Por: Wanessa Oliveira

Essa tag tá super famosa pelos blogs e claro eu tive a oportunidade de receber da minha amiga blogueira Dona Matilda. Respeito os gostos de todo mundo, mais algumas coisas não combinam com a minha pessoa. Então, confira as 7 coisas que eu não usaria.

1- Oxford – acho muito masculino esse sapato. Não combina comigo e não faz meu estilo!

2- Calça Pantalona – Brega! Brega! Brega!

3- Clogs – Horrível!!!4- Saruel- tem que ter um corpo legal e muito estilo para usar

 5- Batons coloridos – é muita ousadia e coragem, não dá!

6- Roupas vulgares demais – qualquer peça dessas não desce e não faz minha cabeça. Tem que ser muito piriguete para usar!

 7- Botas da Joelma e ainda por cima brancas– Mil vezes cafona!

E vocês discordam ou concordam comigo?

Passo a vez para : Marina do Bairro / Dias vermelhos/ Acho pop/ Essência de cereja/  causingscenes / daddyslittlegirlnomore / Sacolada / OdiadaLila

Beijo e um maravilhoso domingo!

Rímel Colorido

Por: Marília Ferreira

Esse é pra mais ousadas, que não tem medo de errar na produção: o rímel colorido. Ele dá um ar super divertido e diferente para a make, mas é preciso ter cuidado na hora e escolher as cores certas.

A primeira dica é manter o foco. Se as cores estão nos olhos, deixe apenas nos olhos, modere na cor do batom e do blush. Já a sombra pode ser neutra (no tom da sua pele) ou pode vir combinando, já que é mais seguro pra iniciantes do que tentar misturar e combinar cores diferentes, mas ainda assim deve ser mais sutil, não-marcada.

Use cores que te valorizem. Para quem não quer se jogar de cara, experimente usar o rimel preto de base e depois aplicar o colorido só nas pontas ou nos cantos, apenas para ‘iluminar’.

O marrom é o mais natural, pra quem tem os cabelos  e as sobrancelhas desse tom para mais claros, molda os fios sem ficar artificial.

Mas o importante mesmo é que você se sinta bem usando. Não vale a pena seguir essa tendência e se sentir insegura ao usar. Tem que se jogar mesmo. Os tons azuis, verdes e roxos tem sido os mais utilizados.

Eu tenho vontade de experimentar pra ver como fica se não der certo, volto para o pretinho básico ou o incolor. E vocês, já aderiram a essa moda?

Just Black

Por: Wanessa Oliveira

Hoje é sexta e claro todos nós já temos um programinha combinado com os amigos, certo? Não importa o lugar; barzinho, festas, cinema e muitos outros. E nós mulheres ficamos na maior dúvida de como irmos vestidas, certo também?

Preparei 3 looks pretinho básico que todo mundo acerta na hora da opção mais esquece de um detalhe: não precisa combinar tudo, ainda mais que o preto é uma cor que combina com toda as outras cores. Você pode variar usando um sapato de outra cor, bolsa, jaqueta e até mesmo algum acessório que você tem e faça toda diferença.

Quanto à maquiagem, eu não domino muito bem sobre o assunto. Porém, sempre que saio não exagero muito, gosto de marcar meus olhos ou boca. Lembre-se você também pode fazer isso, escolhendo a parte mais bonita em você!

Beijo e ótimo fim de semana!

Acessórios

Por: Wanessa Oliveira

Sim, sim, sim! Nós mulheres amamos acessórios femininos, como: brincos, colares, pulseiras e anéis. Algumas se identificam mais com uma dessas peças. Eu por exemplo, adoro anéis e de preferência em cor prata! Tenho bastante, mais ultimamente estou sem comprar nenhum, porque eu queria alguns anéis fofos e que realmente tivessem meu estilo. Confesso que estou louca por um anel de laço como esse abaixo e um de câmera, super lindo!

Eu já tentei usar brincos, acho lindo os pequeninos e românticos, tipo pérolas, mais não funciona, minha orelha inflama e não tem jeito, pulseira e colar acho lindo, mais às vezes fico incomodada e tiro logo.

Selecionei alguns modelos lindos lá do Fashionlista, claro né? Só tem coisa bonita por lá e olha que eu fiquei na dúvida em qual colocar aqui, porque pensei nos gostos de todas vocês. Espero que eu tenha acertado 😛

E vocês meninas gostam de acessórios ou não, quais seus favoritos? Usa prata ou dourado? Conta pra gente!

Beijo, Beijo!

Dance!

Por: Marília Ferreira

Esse post é uma dica para as meninas que estão querendo começar uma atividade física, mas não sabem o que escolher, por que:

a) não gostam de correr

 b) não gostam de frequentar academia

 c) acham chato/tem preguiça. Não desanimem assim tão rápido: dancem!

Por quê? Vou dar 10 motivos pra começar a dançar já!

1– É divertido – Seja qual for o estilo que você escolha é divertido, elimina o stress e tudo mais, e mesmo que você não se divirta dançando é sempre divertido ver gente dançado 😉

2– É útil – você poderá usar tudo que aprendeu na balada, garota! Se joga e seduz

3– Trabalha todos os músculos. – todos mesmo!

4– Te dá flexibilidade – alongar é muito importante antes e depois qualquer atividade física.

5– Aprimora a coordenação motora – Pés, braços, cabeça, tudo faz parte do movimento.

6– Te ajuda e se livrar da timidez, e é um ótimo meio de socialização.

7– Não existem restrições para dançar – Não importa seu tamanho, idade, peso, nem nada!

8– Há uma grade variedade de estilos, caso não goste de um, há sempre outra opção (dança do ventre, salsa, zouk, street, jazz, ragga, ballet, tango, sapateado, etc…)

9– Melhora a capacidade cardiorrespiratória. – Porque você vai precisar de fôlego.

10 – Você pode praticar em casa mesmo, e você ainda pode transformar a dança em uma atividade profissional.

Resumindo, dançar só faz bem, pro corpo e pra alma, envolve ritmo, música e diversão, e você ainda está se exercitando. Não tem mais razão pra preguiça. Eu faço street dance há um pouco mais de um mês e AMO! Às vezes saio um pouco doída (uma prova de que a gente trabalha músculos que nem sabíamos da existência), mas vale muito à pena, dançar faz com que você se sinta muito bem! Agora é só escolher o seu tipo de dança, e se jogar 😉

Entrevista com: Larissa Nogueira

Por: Wanessa Oliveira

Quem é Larissa Siriani?

Escritora, leitora ávida e cinéfila assumida, além de professora de inglês nas horas vagas e estudante de Cinema em São Paulo, sua terra natal

Vermelho Sangue

Beni não é normal. Amarga,alcóolatra,repetente,revoltada – e uma caçadora. Claro que nem sempre foi assim. Como toda garota, ela tinha a vida perfeita, até que uma fatalidade revirou sua vida de modo tal que nada nunca mais seria o mesmo. Beni descobriu que há monstros no mundo, e se propôs a eliminá-los; ou morrer tentando. Mas o que poderá acontecer quando um rapaz misterioso aparece em sua vida, pronto para mudar tudo? E até que ponto Beni será capaz de lutar contra o pior dos inimigos: ela mesma? Nada nunca mais será igual.

Toda Garota Quer

Dora tem 17 anos,acabou de terminar o colegial e é uma garota completamente frustrada. Depois do fim do seu relacionamento com o garoto supostamente perfeito, ela quer recomeçar e esfriar a cabeça. Pra isso, vai parar sozinha em Ilhabela, para uma semana de sossego. Estes eram os planos. Antes, é claro, de ela conhecer Tomáz. Ele é tudo o que ela – e qualquer uma! – morre pra ter, mas será que Dora está pronta pra outra? Pra vencer o medo e a si mesma?

1 – O que te levou a escrever os livros?

Eu, sinceramente, não sei. Sabe aquele sonho que você tem desde pequena? Ser escritora é o meu. Eu leio e escrevo desde que me entendo por gente. Virou uma válvula de escape, e ao mesmo tempo algo que faz parte de mim. Não consigo imaginar a minha vida sem escrever.

2 – Você se inspira ou se inspirou em algum escritor ou escritora para escrever o livro?

Em alguns. Comecei a investir em Chick Lits depois que conheci os livros da Meg Cabot, e me apaixonei pelo estilo. Também admiro muito outros autores, como C.S. Lewis (autor de Crônicas de Nárnia) e Markus Zusak. Cada autor me inspira de uma forma diferente pra cada novo livro que eu leio, e isso reflete no que eu estou escrevendo ou vou escrever.

3 – Você tem as mesmas características ou se acha parecida com as personagens Beni e a Dora?

Com a Beni, apenas a teimosia; a Dora já é outro caso. Não vou negar que ela é um reflexo meu enquanto estava no colegial, cheia de incertezas e insegura com a própria vida. São personagens bem diferentes, mas acho inevitável não colocar um pouquinho de mim em todos os personagens que eu escrevo.

4 – Você pretende escrever mais livros?

Com certeza! Alguns amigos meus brincam que eu sou uma máquina, porque nunca escrevo uma coisa de cada vez – são sempre dois, três livros sendo escritos ao mesmo tempo. Já estou inclusive trabalhando na continuação de Vermelho Sangue. Parar de escrever é algo que eu não pretendo fazer nunca.

5 – Qual é seu livro preferido de cabeceira?

Eu não sei se eu tenho um. Meu livro favorito muda constantemente! Mas há um bom tempo que o dono do cargo é “Eu Sou o Mensageiro”, do Markus Zusak. É fantástico, me deu uma visão completamente diferente das coisas quando o li.

6 – E qual é seu escritor favorito?

Não consigo me decidir! Gosto de muitos escritores diferentes, por isso não tenho um preferido. No momento, é o Rick Riordan (estou fissurada por Percy Jackson, tenho que admitir)

7 – Uma frase ou uma parte do seu livro que você mais gosta de ler?

Eu simplesmente adoro as conversas entre Beni e Jonas, em Vermelho Sangue, porque são muito engraçadas e cheias de mensagens subliminares. Quando eu as leio, não consigo acreditar que fui eu quem escrevi.

8 – @Diadebrilho agradece pela oportunidade de divulgá-la e pela entrevista dada.

Muito obrigada você pela oportunidade! Foi uma honra 🙂

Blog

Twitter

Beijinhos!!! 🙂