Vocês gostam de ler um livro e esperar ansiosamente para ver o filme e fazer aquelas comparações básicas, depois? Sempre faço isso por aqui. E com o filme de hoje, não foi diferente A Cabana um livro que eu li tem anos, tinha até esquecido que iria sair o filme de tanto que demorou hahaha. Apesar de anos de espera o filme é bonito de acompanhar e tem uma história emocionante sobre fé, perdão e sobretudo amor.

Durante uma viagem que deveria ser repleta de diversão e alegria, uma tragédia marca para sempre a vida da família de Mack Allen (Sam Worthington). Sua filha mais nova, Missy desaparece misteriosamente. Depois de grandes investigações, indícios de que ela teria sido assassinada são encontrados numa velha cabana. Imerso numa dor paralisante e profunda, Mack entrega-se a um estado de ausência, raiva e confusão, mesmo após quatro anos do desaparecimento da menina, insiste em não diminuir.

Um dia, ele recebe um bilhete assinado por Deus, convidando-o para um encontro na cabana abandonada. Cheio de dúvidas, mas procurando um meio de aplacar seu sofrimento, Mack atende ao chamado e volta ao cenário de seu pesadelo. Chegando lá, sua vida dá uma reviravolta: Deus, Jesus e o Espírito Santo estão à sua espera para um “acerto de contas” e com enorme paciência conversam com Mack sobre vida, morte, dor, perdão, fé, amor e redenção, fazendo com que ele compreenda aspectos tristes de sua história.

Confira o trailer:

É nesta parte anterior que o filme fica ainda mais interessante e intrigante. Principalmente quando envolve a questão que Mack sentia e que pode ser identificada com a nossa realidade quando perdemos um ente querido: Se Deus é bom, porque ele permite o mal e o sofrimento? Esta questão sempre foi fruto de muita frustração, revolta e dor. Quem tiver interesse em ler o livro antes de assistir ao filme, eu recomendo a leitura que ficou bem fiel ao filme (o livro é fininho, tá?). 😉

Já assistiram?