Para ler: Billy e Eu

Olá pessoal, como estão? Semana passada eu estava doente e a Carol teve um probleminha com o computador dela, por isso não aparecemos na sexta. Como foi a Páscoa de vocês? Muito chocolate? A minha teve livro novo, serve? Aí aproveitando o ensejo do presente e resolvi mudar o assunto um pouco, para hoje eu escolhi um livro que li há algumas semanas e adorei. Billy e Eu (Billy and Me) é o primeiro trabalho como escritora de Giovanna Fletcher que foi lançado no Brasil no final do ano passado pela Editora Phorte.

billy e eu 1

Sophie May é uma jovem que vive com a mãe na pequena cidade de Rosefont Hill e trabalha na casa de chás da cidade. Um dia ao chegar para trabalhar Sophie percebe que todas as senhorinhas frequentadoras da loja estão mais animadas que o normal. O motivo? Rosefont Hill seria cenário para uma produção Hollywoodiana de Orgulho e Preconceito. Todos na cidade ficaram empolgados com a notícia, afinal nada acontecia por ali. Quando toda a produção do filme começa a chegar na cidade, Sophie conhece Billy Buskin, o jovem ator em ascensão escalado para o papel de Mr. Darcy. Primeiro ela não gosta muito da escolha, já que ele não é Jude Law, mas ao conhecer melhor o rapaz ela começa a aceitar a ideia.

Sophie e Billy então iniciam um romance fofinho e perfeito de dar inveja em todas as senhorinhas e causar a fúria de algumas fãs. Quando a produção do filme termina, Billy a convida para ir morar com ele em Londres, o que ela faz sem pensar muito nas consequências e achando que tudo seria igual. Mas quando o assédio em cima do relacionamento deles começa a afetar Sophie, ela não sabe se pode continuar com tudo.

Antes de falar o que achei do livro preciso explicar como conheci a história. Giovanna Fletcher é a esposa do Tom Fletcher, vocalista e guitarrista de uma das minhas bandas favoritas, McFLY. Eu a conheço há bastante tempo por causa do Tom, leio o blog dela e assisto aos vídeos que ela posta no YouTube. Então o maior motivo por eu ter me interessado por Billy e Eu foi esse. Eu inclusive recomendo o blog dela (em inglês) para quem é mãe de primeira viagem assim como ela, lá a Gio (sou muito íntima haha) compartilha as experiências dela como pequeno Buzz.

Mesmo tendo me interessado pelo livro da Giovanna eu confesso que comecei ele com um pé atrás. Eu não sabia do potencial dela como escritora, mas todo o meu receio foi embora no prefácio. É impossível não entender e se identificar com a confusão de sentimentos e pensamentos que é Sophie May. A jovem passou por muitas coisas quando criança, então as atitudes dela são justificáveis. Billy também é um amor, e não falo isso só porque ele fez o Mr. Darcy, ele realmente se importa com a Sophie e tenta tornar tudo o mais fácil para ela.  Os personagens secundários são ótimos também. Amo a Molly, a dona da casa de chás e derrubei algumas lágrimas graças a ela.

billy e eu 2

Como gostei bastante de Billy e Eu estou bem ansiosa para o próximos lançamentos da Giovanna. Editora Phorte agiliza aí para lançar o Christmas With Billy and Me – um especial de natal lançado no final do ano passado – e o You’re The One That I Want, lançado no início de 2014. Só não peço agilidade no Dream A Little Dream porque esse nem ela terminou de escrever ainda.

Alguém já leu Billy e Eu? O que achou?

Semana que vem tem mais!

Beijos

 

Eu li: Fiquei com seu número

No ano passado li bastante livros que gostei e entre eles (o último do ano) foi o Fiquei Com Seu Número da Sophie Kinsella, nunca tinha lido nada da autora e gostei muito da leitura. O livro narra a história a jovem Poppy Wyatt uma fisioterapeuta que está prestes a se casar com o homem perfeito. Porém, numa bela tarde, reunida com as amigas para mostrar seu anel de noivado ele incrivelmente desaparece e Poppy não consegue encontrá-lo, visto que e o anel de noivado está na família do noivo há três gerações e para completar seu celular é furtado no meio da rua enquanto fazia uma ligação.

Fiqueicomseunumero

Fiquei Com Seu Número – 460 páginas – Sophie Kinsella

Desorientada e completamente sem comunicação em Londres, Poppy encontra um celular jogado no lixo no hotel que está hospedada. Após isso, ela comunica os funcionários para que liguem para o seu novo número assim que encontrarem seu anel de noivado. Acontece que o dono do aparelho, não gosta nenhum pouco desta história, Sam Roxtom o executivo não suporta a ideia de haver alguém estranho bisbillhotando suas mensagens e vida pessoal. Mas, depois de alguns torpedos, Poppy e Sam se entendem e com o tempo os dois acabam se aproximando ainda mais um do outro.

Agora com o anel e celular furtado, Poppy vive um dilema enorme de como agradar os pais de Magnus seu noivo e o que dizer sobre o anel de noivado desaparecido de seu dedo. Além de todos estes problemas, Poppy ainda convive com o estresse para organizar seu casamento, sorte que tem Lucinda para ajudá-la com todos os detalhes. E colabora com Sam repassando os e-mails, lendo e respondendo a maioria deles e adicionando o nome do executivo ao final. Acontece que muitos dos e-mails respondidos não agradam Sam e isso gera muita confusão para o lado de Poppy.

O livro em si é divertidíssimo, a história é cativante e há uma reviravolta no final. Existem vários acontecimentos como Poppy rouba no jogo de palavras cruzadas da família de Magnus com a ajuda de Sam via torpedos, Poppy descobre que o seu noivo não é um príncipe encantado e Lucinda não é tão verdadeira quanto parece.

A história é bem parecida com os livros da Meg Cabot, com mensagens de celular, troca de e-mails e notas de rodapé bem engraçadas que complementam ainda mais a leitura.

E vocês, já leram este livro? Recomendam algum outro da Sophie Kinsella?

Mais um livro concluído com sucesso! Dessa vez não demorei com a leitura como sempre acontece, geralmente leio um livro durante um mês e este eu consegui em duas semanas (record do ano, uhuul!). A leitura fluiu tão bem e o livro é maravilhoso não tinha como enrolar por muito tempo haha.

A história do livro se passa na vida da jornalista de 23 anos, chamada Melissa Moya que recebe a notícia que está despedida de seu emprego no dia do seu aniversário. Mel volta arrasada para casa e quando chama o elevador, dá de cara com seu vizinho chamado Theodoro Brasil (mais conhecido como Théo) que subia para o mesmo andar. A amizade dos dois começa quando Mel conta a Théo sobre sua demissão. Théo sugere que ela faça matérias freelance para sua agência e ela gosta da ideia. A partir daí, ela viajará para lugares com apenas uma mochila, máquina na mão e notebook debaixo do braço.

MMMfoto

Mel despede de seus familiares e amigos e de sua gata chamada Lady Gaga e segue em frente com o projeto “América sobre rodas”, no qual é compartilhar sua experiência por meio de matérias, registros e fotografias em cada local que passa, mesmo não sabendo falar inglês fluentemente. Durante sua estadia nos Estados Unidos, no apartamento de Viviane (namorada de Théo) Mel conhece Caio e Alan, seus vizinhos. Mas, é Alan que a conquista com seu charme, seu inglês perfeito e misterioso de ser. Após alguns dias juntos, Mel percebe que Alan não a respeita como gostaria e Viviane não é tão confiável quanto ela achava ser.

Mel faz amizades e se diverte em cada lugar que visita. Até que um dia, Théo chega nos EUA e reencontra com Mel para seguirem juntos a viagem. Porém, tudo vira uma bagunça quando Mel resolve colocar Alan e Théo juntos no mesmo destino.  Théo é fotografo e fica responsável pelos registros, Mel escreve as matérias e Alan é o companheiro encrenqueiro. A viagem era para ser perfeita mais Théo e Alan entram em guerra, deixando Mel desorientada. Até porque Alan vê o interesse de Théo em Melissa durante a viagem.

O relacionamento confuso de Alan e Mel acaba abrindo as portas de Théo. O rapaz assume estar apaixonado por Melissa e eles começam a namorar. Mel volta para casa com dever cumprido e apresenta Théo para sua família. Melissa é tão profissional no que faz e acaba recebendo uma nova proposta, dessa vez viajar para Europa dando continuidade ao projeto. Ela aceita, porém, vê seu relacionamento balançado com Théo, porque ele fica magoado com Mel por não contar sobre o novo projeto. Dentro do avião, embarcando para Europa e sem Théo ao seu lado, Mel recebe uma carta apaixonada do namorado apoiando sua decisão.

A leitura é surpreendente, a cada capítulo do livro Fernanda França, autora brasileira sabe deixar o leitor curioso e viciado na leitura. Enquanto eu estava lendo o livro, pausei e mandei tweet para Fernanda lá no Twitter elogiando o livro e ela me respondeu dizendo que o segundo livro está para sair. Pensa na minha felicidade, hahaha! O livro possui uma capa linda e nos capítulos Fernanda descreve um trecho da história, por onde a personagem Melissa passa.

Há muitos outros detalhes no livro, preferi não descrever porque a resenha ficaria enorme! Vocês já tinha escutado falar no Malas, Memórias e Marshmallows?

Eu li: Cidades de Papel

Fazia tempo que eu não posto resenha de livro aqui no blog, né? Leituras atrasadas e boas ideias surgem no caminho e acabo alterando toda programação do blog, hahaha! Quando eu fiquei sabendo que mais um livro do autor John Green – Cidades de Papel viraria filme eu falei “preciso ler”, fiz isso e infelizmente a leitura não me agradou, vem saber o por quê e do que se trata a história do livro.

A história é sobre Quentin mais conhecido como Q, um garoto em seu último ano de escola, que é apaixonado por sua vizinha Margo Roth, a garota mais amada do colégio. Eles se conhecem desde os dois anos de idade, e sempre foram amigos. Um dia qualquer, aos dez anos, os dois encontram um cara morto em um parque, quando estavam andando de bicicleta. Com o tempo, cada um segue um caminho diferente, mas os dois lembram daquele homem.

cidadesdepp

Depois de alguns anos, Margo aparece na janela de Q o convidando para uma aventura, e ele aceita. Os dois invadem o Sea World, deixam alguns presentes para os amigos de Margo, visitam o SunTrust e depilam a sobrancelha de Chuck. No SunTrust, os dois enxergam toda cidade de Orlando que é uma Cidade de Papel. Quando Q chega em casa, percebe que aquela foi a melhor noite de sua vida.

Porém, tudo muda com o desaparecimento de Margo no dia seguinte. Não é a primeira vez que isso acontece, mas ela sempre deixa pistas de onde foi com alguém, seja na sopa de letrinhas ou em um comentário anônimo na internet. Alguns dias se passam Q e seus amigos resolvem investigar sobre o paradeiro de Margo e encontram histórias e lugares que jamais imaginavam conhecer.

Pra mim a leitura foi paradona, não sentia emoção ao ler o livro, em algumas partes há muita enrolação e você fica curiosa para saber o que vai ser acontecer com Margo e mesmo assim não te surpreende, pelo menos para mim foi assim. O livro contém romance e aventura, mas não encontrei nenhum personagem que me marcasse durante a leitura.

Este foi o meu segundo livro que li do John Green e mesmo assim quero ler seus outros livros. Afinal, cada história é uma história, né? Minha próxima escolha do autor será: Quem é você, Alasca? Aceito indicações, hein! 😉

E vocês, já leram Cidades de Papel? Gostaram da leitura? Qual outro livro do John vocês recomendam para ler?

Eu li: Dama de Honra

Enrolei mais consegui finalizar mais um livro, desta vez queria uma leitura divertida e ao mesmo tempo interessante e Dama de Honra (Jane Costello) cumpriu o seu prometido 😀 . O livro conta a história de Evie Hart uma jornalista de 27 anos, que tem vários casamentos para ir e ser dama de honra de suas amigas. Além disso, Evie convive com vários problemas em seus relacionamentos amorosos a maioria deles nunca dura por muito tempo. Em um dia qualquer, Evie aceita ser dama de honra no casamento de sua amiga Grace, após a ida no casamento da amiga ela percebe que está cada vez mais longe de se casar.

damadehonraddb

Depois de várias histórias e conversas durante o casamento de Grace, Evie conhece Jack um cara lindo, charmoso, bem-humorado e inteligente que se relaciona com Valentina sua amiga sexy, rica e magra. Valentina e Jack vivem um romance passageiro, no qual ficam durante o casamento de Grace e no dia seguinte se separaram. Valentina não se importa com isso, para ela não é o cara mais bonito do pedaço que é importante ter na vida e sim a conta bancária que ele possui. Enquanto o casório de Grace e Patrick acontece Evie chama Charlotte sua amiga de infância para colocar a conversa em dia e saber como vão o status de relacionamento.

Charlotte é gordinha e após uma decepção gritante com o vestido de dama de honra que não entra nela, põe um fim nesta história e decide fazer uma dieta radical e fica magra, conquistando todos os caras que aparecem à sua vista, inclusive um cara misterioso. Dias se passam e Evie não consegue tirar Jack da cabeça e imagina um romance promissor com o mesmo. Sua amiga da faculdade Georgia anuncia o seu casamento e Jack é um dos convidados da festa. Os dois se conhecem, marcam um encontro depois e o beijo acontece. O casal vive um romance maravilhoso mais Beth surge e atrapalha toda a relação deixando Evie desconfiada depois de várias ligações no celular de Jack, com isso os dois terminam o relacionamento. 🙁

Evie fica sem Jack por um bom tempo e em seguida sua mãe anuncia que vai se casar e de vestido verde, para completar sua mãe convida o ex-namorado para a festa, o cara é um chato e fica o tempo inteiro atrás de Evie incomodando com histórias passadas e insistindo para tê-la de volta. Depois de 3 casamentos, Evie é convidada para ser dama de honra de Valentina que vai se casar com um cara milionário, Evie vai ao casamento da amiga com o coração apertado, pois ela e Jack não se falam desde o término, acontece que Georgia e Valentina percebe a tristeza da amiga e Jack aparece de surpresa no casório de Valentina anunciando para todos os convidados que a quer de volta. E aí, o que acha que acontece no final Evie casa com Jack, ou não? Não vou contar pra vocês. 😛

A história é cheia de detalhes, impossível falar de tudo aqui pra vocês ainda tem muitas outros momentos memoráveis do livro que eu não contei. Recomendo demais a leitura super fácil, romântica e divertida, ri em várias partes da leitura.

Vocês já leram Dama de Honra? Gostam desse tipo de leitura romance + comédia? 🙂

E mais uma leitura finalizada 😀 !! Mais uma vez me rendi aos livros de crônicas ♥ e a escolha da vez foi o livro A Menina que Colecionava Borboletas da escritora e blogueira Bruna Vieira. Comprei ele no sábado no dia em que a Bruna deu um pulo aqui na Capital Federal para lançar o livro, o evento rolou na Livraria Cultura do Casa Park. A fila era imensa para conseguir um autógrafo da escritora. Consegui entrar no auditório e ver a Bruna de pertinho respondendo algumas perguntas.

LivroBruna

Este é o primeiro livro que leio da Bruna e posso dizer que é uma ótima leitura 😉 . Apesar de tão novinha ela já carrega uma bagagem incrível de sonhos, música, pensamentos, fotografias, amores, decepções e ensinamentos. Em A Menina que Colecionava Borboletas ela mostra seu lado mais maduro e expõe o que acha sobre amor e os relacionamentos que viveu, os problemas que enfrentou com o seu corpo, os ensinamentos que ela aprendeu morando em uma cidade grande, das críticas que recebeu em seu blog. Dentre muitas outros problemas e responsabilidades que a escritora enfrentou e que por meio deles aprendeu a superar todas as diferenças.

A diagramação do livro é uma fofura e há várias ilustrações, algumas são coloridas compostas por frases aleatórias da própria autora. Além disso, há uma playlist de músicas que a autora sempre deixa nas últimas páginas do livro, marca registrada da Bruna.

Três textos me marcaram e deixo um trecho de cada uma deles pra vocês espiarem, vem comigo!

O Manual da Felicidade

Não guarde rancor. Nada acontece por acaso. Precisamos aprender a tirar boas lições até das piores experiências. Os ensinamentos negativos, quando acumulados dentro da gente, contaminam todo os resto. Paramos de prestar atenção e de ver graça nas coisas mais simples quando passamos o dia todo tentando resolver os antigos problemas de sempre. Exigir que o mundo seja exatamente como planejamos o tempo todo é egoísta, e o orgulho só serve para te tornar uma pessoa mais solitária.

Os Planos que a Gente Faz (e Desfaz)

O amor vem dentro de uma pequena caixa. Vem acompanhado. Com ciúmes, insegurança e intimidade. Cada pessoa abre de um jeitinho diferente. Alguns gritam e compartilham com o mundo. Outros jogam a caixa longe e correm o mais rápido que podem. Os corajosos que se arriscam e vão em frente precisam de uma espécie de manual para usá-lo da maneira correta. Não é um papel que vem junto nem pode ser encontrado no Google. São leis que nascem com a gente. Admiração, respeito e honestidade. Sem esse manual, a caixa não vale para nada. Talvez para alcançar alguma coisa. Para ocupar um espaço vazio. Mas, no final das contas, é só uma caixa maciça e sem valor.

Sou uma Garota para Ficar

Seguir um script é besteira, sabe? Pessoas não são como peças de roupa, que precisam de etiquetas para ser diferenciadas. Nossos valores reais estão nas atitudes que tomamos, naquilo em que acreditamos e nos outros detalhes que deixamos o outro conhecer aos pouquinhos. Somos todos, mulheres e homens também, um mix de lembranças, dramas e sonhos. É maldade deixar que nos dividam em categorias.

 

Pra quem ama ler crônicas, vai adorar este livro! Vocês já leram algum livro da Bruna Vieira?