Para ler: Billy e Eu

Olá pessoal, como estão? Semana passada eu estava doente e a Carol teve um probleminha com o computador dela, por isso não aparecemos na sexta. Como foi a Páscoa de vocês? Muito chocolate? A minha teve livro novo, serve? Aí aproveitando o ensejo do presente e resolvi mudar o assunto um pouco, para hoje eu escolhi um livro que li há algumas semanas e adorei. Billy e Eu (Billy and Me) é o primeiro trabalho como escritora de Giovanna Fletcher que foi lançado no Brasil no final do ano passado pela Editora Phorte.

billy e eu 1

Sophie May é uma jovem que vive com a mãe na pequena cidade de Rosefont Hill e trabalha na casa de chás da cidade. Um dia ao chegar para trabalhar Sophie percebe que todas as senhorinhas frequentadoras da loja estão mais animadas que o normal. O motivo? Rosefont Hill seria cenário para uma produção Hollywoodiana de Orgulho e Preconceito. Todos na cidade ficaram empolgados com a notícia, afinal nada acontecia por ali. Quando toda a produção do filme começa a chegar na cidade, Sophie conhece Billy Buskin, o jovem ator em ascensão escalado para o papel de Mr. Darcy. Primeiro ela não gosta muito da escolha, já que ele não é Jude Law, mas ao conhecer melhor o rapaz ela começa a aceitar a ideia.

Sophie e Billy então iniciam um romance fofinho e perfeito de dar inveja em todas as senhorinhas e causar a fúria de algumas fãs. Quando a produção do filme termina, Billy a convida para ir morar com ele em Londres, o que ela faz sem pensar muito nas consequências e achando que tudo seria igual. Mas quando o assédio em cima do relacionamento deles começa a afetar Sophie, ela não sabe se pode continuar com tudo.

Antes de falar o que achei do livro preciso explicar como conheci a história. Giovanna Fletcher é a esposa do Tom Fletcher, vocalista e guitarrista de uma das minhas bandas favoritas, McFLY. Eu a conheço há bastante tempo por causa do Tom, leio o blog dela e assisto aos vídeos que ela posta no YouTube. Então o maior motivo por eu ter me interessado por Billy e Eu foi esse. Eu inclusive recomendo o blog dela (em inglês) para quem é mãe de primeira viagem assim como ela, lá a Gio (sou muito íntima haha) compartilha as experiências dela como pequeno Buzz.

Mesmo tendo me interessado pelo livro da Giovanna eu confesso que comecei ele com um pé atrás. Eu não sabia do potencial dela como escritora, mas todo o meu receio foi embora no prefácio. É impossível não entender e se identificar com a confusão de sentimentos e pensamentos que é Sophie May. A jovem passou por muitas coisas quando criança, então as atitudes dela são justificáveis. Billy também é um amor, e não falo isso só porque ele fez o Mr. Darcy, ele realmente se importa com a Sophie e tenta tornar tudo o mais fácil para ela.  Os personagens secundários são ótimos também. Amo a Molly, a dona da casa de chás e derrubei algumas lágrimas graças a ela.

billy e eu 2

Como gostei bastante de Billy e Eu estou bem ansiosa para o próximos lançamentos da Giovanna. Editora Phorte agiliza aí para lançar o Christmas With Billy and Me – um especial de natal lançado no final do ano passado – e o You’re The One That I Want, lançado no início de 2014. Só não peço agilidade no Dream A Little Dream porque esse nem ela terminou de escrever ainda.

Alguém já leu Billy e Eu? O que achou?

Semana que vem tem mais!

Beijos

 

Eu li: Fiquei com seu número

No ano passado li bastante livros que gostei e entre eles (o último do ano) foi o Fiquei Com Seu Número da Sophie Kinsella, nunca tinha lido nada da autora e gostei muito da leitura. O livro narra a história a jovem Poppy Wyatt uma fisioterapeuta que está prestes a se casar com o homem perfeito. Porém, numa bela tarde, reunida com as amigas para mostrar seu anel de noivado ele incrivelmente desaparece e Poppy não consegue encontrá-lo, visto que e o anel de noivado está na família do noivo há três gerações e para completar seu celular é furtado no meio da rua enquanto fazia uma ligação.

Fiqueicomseunumero

Fiquei Com Seu Número – 460 páginas – Sophie Kinsella

Desorientada e completamente sem comunicação em Londres, Poppy encontra um celular jogado no lixo no hotel que está hospedada. Após isso, ela comunica os funcionários para que liguem para o seu novo número assim que encontrarem seu anel de noivado. Acontece que o dono do aparelho, não gosta nenhum pouco desta história, Sam Roxtom o executivo não suporta a ideia de haver alguém estranho bisbillhotando suas mensagens e vida pessoal. Mas, depois de alguns torpedos, Poppy e Sam se entendem e com o tempo os dois acabam se aproximando ainda mais um do outro.

Agora com o anel e celular furtado, Poppy vive um dilema enorme de como agradar os pais de Magnus seu noivo e o que dizer sobre o anel de noivado desaparecido de seu dedo. Além de todos estes problemas, Poppy ainda convive com o estresse para organizar seu casamento, sorte que tem Lucinda para ajudá-la com todos os detalhes. E colabora com Sam repassando os e-mails, lendo e respondendo a maioria deles e adicionando o nome do executivo ao final. Acontece que muitos dos e-mails respondidos não agradam Sam e isso gera muita confusão para o lado de Poppy.

O livro em si é divertidíssimo, a história é cativante e há uma reviravolta no final. Existem vários acontecimentos como Poppy rouba no jogo de palavras cruzadas da família de Magnus com a ajuda de Sam via torpedos, Poppy descobre que o seu noivo não é um príncipe encantado e Lucinda não é tão verdadeira quanto parece.

A história é bem parecida com os livros da Meg Cabot, com mensagens de celular, troca de e-mails e notas de rodapé bem engraçadas que complementam ainda mais a leitura.

E vocês, já leram este livro? Recomendam algum outro da Sophie Kinsella?