Eu li: Felicidade Crônica

Depois de um período sabático, hoje trago uma ótima leitura pra você começar nessas férias! Enfrentei um período ruim porque comecei a ler um livro que eu havia comprado e infelizmente ele não me agradou 🙁 . Daí, olhei na minha estante e tinha o Felicidade Crônica, da Martha Medeiros de bobeira por lá foi ele mesmo que sacudiu a poeira e me motivou a continuar a minha lista nada pequena de leituras para este ano.

“Sou virgem de helicóptero, Jack Daniels, revólver, análise, transa em elevador, LSD, Harley-Davidson, cirurgia, rafting, show do Neil Young, siso e passeata. A virgindade existencial nos acompanha até o fim dos nossos dias, especialmente no último, pois somos todos castos frente à morte, nossa derradeira experiência inédita” página 22

felicidadecronica

Já falei mas repito sou fã de carteirinha da Martha Medeiros, suas crônicas são verdadeiras, únicas e cheias de sabedoria a cada livro lido eu sinto que ganho aprendizado, viajo por outras culturas, sentimentos, amores e conheço novos livros e filmes. Em Felicidade Crônica a autora expõe textos sobre vários temas de nossa vida e nossa realidade como curtir a vida, amor-próprio, viagens e andanças, família e outros afetos.

“O mundo quer que a gente fique horas no telefone, torrando dinheiro. Quer que a gente case logo e compre um apartamento que vai nos deixar endividados por vinte anos. O mundo quer que a gente ande na moda, que a gente troque de carro, que a gente tenha boa aparência e estoure o cartão de crédito. ” página 168

Ela abre a boca e não mede esforços e fala sobre tudo desejos satisfeitos, como levar uma vida interessante, ser virgem, emoção x adrenalina, admitir o fracasso, diversão de adulto, a mesa da cozinha, pais e filhas, mulheres na pressão, o mundo não é maternal, viajar para dentro e traz uma perspectiva realista e profunda a respeito de todos esses assuntos que cercam nossa vida diariamente.

“Viajar é transportar-se sem muita bagagem para melhor receber o que as andanças têm a oferecer. Viajar é despir-se de si mesmo, dos hábitos cotidianos, das reações previsíveis, da rotina imutável, e renascer virgem e curioso, aberto ao que lhe vai ser ensinado.” página 219

Pra quem não sabe este livro faz parte dos 20 anos de crônica da autora, dentro dele você vai encontrar textos (repetidos) de outros livros como Montanha Russa, Coisas da Vida, Doidas e Santas (já fiz resenhas deles aqui no blog!) entre outros. Além disso, esta coleção é composta por mais dois livros o Liberdade Crônica e Paixão Crônica que eu ainda não li, mas quero pra já! 😀

Vocês já leram Martha Medeiros? Gostam de crônicas?

Crônica: Desistindo

Venho algum tempo querendo expor algumas crônicas que andei escrevendo, até porque este é um novo assunto que quero inserir no blog. E depois que falei no Twitter se vocês gostariam dessa ideia, a resposta foi positiva e resolvi compartilhar com vocês. Algumas amigas já leram, gostaram e se identificaram. Espero que vocês gostem também. 😀

large (11)

Lembro que o começo não foi fácil. Deitei na cama, fechei os olhos, joguei os braços para cima da cabeça e pensei. Pensei em quantas perguntas a gente se faz e quantas respostas nós gostaríamos de receber. Confesso que todas as noites pensava em desistir, tentar outro caminho, respirar em outro lugar, viver em outro momento, deixar que as incertezas e as lágrimas invadissem meu coração e tomasse conta de mim. Pensei em nascer de novo, começar tudo outra vez, como os primeiros passos de um bebê. Pensei que desistindo de tudo eu ganharia. Mas não foi assim, nada na vida é fácil e vem fácil. Ás vezes você precisa de um empurrão, de tapas na cara, de palavras verdadeiras, de apoio, de um abraço.

Talvez despertar pela noite não é tão ruim, pois é possível perceber que sua vida é única e que existe diversas maneiras de fazer acontecer, realizar, sonhar, chegar em algum lugar, permitir que os sonhos sejam como balões coloridos e que existem significados e desejos em suas cores. Pode ser que nada aconteça na hora em que você deseja, mas quem sabe uma surpresa surge no meu do caminho e você tropeça e reencontra forças para continuar na estrada e não desistir. Lutar exige sacrifícios, exige coragem, exige muita perseverança, paciência e sabedoria e se você desistir perde os passos que poderia ter dado.

Você já desistiu de algum sonho, pensou novamente e seguiu em frente?

Os Nacionais #2

Hoje vou falar de dois escritores nacionais que são mais conhecidos no mundo virtual, mas que são muito competentes:

Eduardo Spohr

Nascido no Rio de Janeiro, estudou comunicação social e trabalhou como repórter. Na infância viajou para outros países e conheceu diversas culturas e conflitos mundiais. Na internet aprimorou seu lado nerd e começou a escrever sua primeira obra “A Batalha do Apocalipse”, tendo uma boa divulgação com a ascensão dos anjos na literatura. Spohr escreve ficcção, fantasia, romance e já colaborou com outras publicações. Sua primeira obra conta a história de Ablon, um anjo caído, que foi obrigado a viver no mundo dos homens por ter se revoltado contra Miguel. Com vários flashbacks e muita história sobre anjos, demônios, paraíso e inferno, o escritor alcançou o reconhecimento dos fãs do gênero. Eduardo Spohr já deu entrevistas para revistas e participou do Programa do Jô.

Obras: A Batalha do Apocalipse (2010); Filhos do Éden: Herdeiros de Atlântida (2011); Protocolo Bluehand: Alienígenas (2011).

Clarissa Corrêa

Ela é de Porto Alegre, e é conhecida na internet por suas frases marcantes e textos que falam sobre os sentimentos e os fatos da vida. Também é redatora publicitária, e, como ela mesma diz, escreve todo tipo de texto. Passou pelas faculdades de Direito e Psicologia, mas resolveu fazer o que mais gosta. “Um Pouco do Resto” é um livro de crônicas, e sua primeira obra publicada. Nele reúne crônicas, algumas de seu blog, que narram sobre a alma feminina. As alegrias, as tristezas, as delícias, as decepções, os amores e os desejos, enfim, descreve o que é ser mulher. Clarissa já deu uma entrevista para o blog (veja aqui), tem uma coluna no site da revista TPM e estará na Bienal do Livro, dia 18 de agosto em São Paulo.

Obras: Um Pouco do Resto (2010); O Amor é Poá (2011); Para Todos os Amores Errados (2011).

Alguma sugestão de escritor nacional?

Beijos e um ótimo fim de semana!