Olá pessoal como estão? Espero que estejam ótimas. Chegou aquela época do ano em que bate um desespero em quem assiste muitas séries como eu: a temporada de hiatus, em que quase todas as séries ficam sem episódios novos até a próxima Fall-Season. E com esses finais de temporadas vêm os Upfronts, que são os eventos que todas as emissoras realizam para apresentar a nova grade de programação e isso incluí as séries antigas que estão em exibição e o anúncio das novas séries que vão estrear em setembro/outubro.

Eu como uma pessoa sem limites para séries, já escolhi um monte dessas novas séries para pelo menos ver o primeiro episódio e pensar se vale à pena continuar assistindo. Essa semana eu trouxe duas séries da ABC, que é a emissora que exibe Grey’s Anatony e Once Upon a Time.

1 – Selfie

selfie_

Selfie mostrará a história de Eliza Dooley (Karen Gillan) uma jovem obcecada por seus perfis nas redes sociais e mais preocupada em ganhar “likes” no mundo virtual do que em se relacionar com as pessoas no mundo real. Quando um vídeo humilhante de Eliza cai na internet e se torna um viral, ela percebe que não tem muitos amigos verdadeiros e decide contratar Henry Higenbottam (John Cho), o especialista em marketing da empresa em que trabalha, para ajudá-la a se relacionar com as pessoas e a restaurar sua imagem.

Confira o primeiro trailer da nova comédia da ABC!

O principal motivo pelo qual eu vou assistir Selfie é a Karen Gillan. Ela fez Doctor Who e que me acompanha aqui no blog sabe da minha pequena obsessão pela série (SDDS AMY POND <3). Mas tirando a Karen eu acho que a série tem potencial para engrenar pelo menos uma temporada completa. O tema é legal e recente e pode render boas histórias.

2 – Manhattan Love Story

manhattan love story_

Manhattan Love Story contará a história do casal Dana (Analeigh Tipton) e Peter (Jake McDorman). Ela é nova da cidade e está à procura do seu espaço no mundo publicitário de Nova Iorque e acaba marcando um encontro as escuras com ele, através de um amigo em comum. No decorrer da série acompanharemos o início do relacionamento dos dois, porém com um diferencial, nós sempre saberemos os que eles estão pensando.

Confira o primeiro vídeo promocional da série!

Principal motivo para assistir Manhattan Love Story: é uma comédia romântica bem fofinha, do jeito que eu gosto, e eu estava precisando de uma série levinha assim na minha lista. Eu acredito que tem potencial porque, sinceramente, quem nunca, uma vez na vida, quis saber o que o seu amigo/namorado/rolo/peguete/marido/amante estava pensando? A série vai destacar bem essas diferenças do que eles pensam para o que eles falam quando estão em um relacionamento.

** Me desculpem pelos trailers sem legenda, como as séries são novas é bem difícil achar legendado.

A ABC anunciou outras nove séries para setembro/outubro. Quem quiser dar uma conferida nos trailers é só clicar em cima dos nomes a seguir: How to Get Away With Murder, Secret and Lies, Galavant, Forever, The Whispers, American Crime, Fresh Off The Boat, Cristela e Black-Ish.

Espero que gostem das séries, semana que vem tem mais.

Beijos

O Natal nas séries

Olá gente linda, como estão? Semana que vem já é Natal, acreditam? E dessa vez não é exagero da minha parte. Então faltando alguns dias para a véspera de Natal o que fazer? Bom, se eu não fosse viajar eu provavelmente sentaria para assistir diversos episódios especiais para assim ter uma overdose com a data que, depois do meu aniversário, é a minha favorita no ano.

Como eu não vou poder fazer o que eu quero, por favor, façam por mim! Eu escolhi meus três episódios de Natal favoritos nas séries que eu assisto ou já assisti. Eles não estão por ordem de preferência, porque já foi difícil escolher, o que dirá listar o que é melhor ou pior. Espero que gostem.

1 – FRIENDS – The One With The Holiday Armadillo (7×10)

friends_armadillo__

Começando com esse só porque Friends é Friends e não há discussão. Nesse episódio ao que tudo indica é a primeira vez que Ben vem passar o Natal com o pai, Ross, ele então decide ensiná-lo sobre o Hanukkah, a festa judaica. Porém o menino só quer saber do Papai Noel e dos presentes. Ross então decide comprar uma fantasia do bom velhinho, mas como está muito em cima da hora todas estão esgotadas. Ross então decide aparecer com a única fantasia que havia restado na loja, a de um tatu.

Depois de muita conversa, ele convence Bem de escutar e aprender mais sobre o Hannukah, porém no meio da história Chandler aparece vestido de Papai Noel, atrapalhando tudo que ele havia planejado. No fim o episódio termina com um Ross vestido de tatu, Chandler de Papai Noel e Joey de Super-Homem (o que não faz o menor sentido, mas é hilário!).

Pra mim esse é um dos melhores episódios natalinos que a série já teve.  E como não lembrar de Rachel perguntando se aquele era o enterro do Coelhinho da Páscoa?

2 – The OC – The Best Chrismukkah Ever (1×13)

the oc_chrismukkah__

Uma série que sabia fazer episódios de Natal como ninguém: The OC. Sério, até quem não assistia a série sabe que os Chrismukkah’s da família Cohen eram uma tradição. Considero esses episódios como clássicos e não estou exagerando. Escolhi justa a primeira comemoração da família porque ela mostra bem o espírito da coisa e é o primeiro Chrismukkah de Ryan. Para mostrar a união da família, Seth decide criar o feriado para que seu pai Sandy, “um judeu pobre e lutador crescido no Bronx”, e sua mãe, “a burguesa protestante”, possam comemorar a data sem que haja algum problema com as religiões da família.

Nesse episódio nós ainda temos Seth, que antes nunca havia tido uma namorada na vida e agora tem duas garotas o desejando, tendo que escolher entre Summer e Anna. Como esquecer de Rachel Bilson aparecendo vestida de Mulher Maravilha na comemoração?

Para quem assistia The OC: Atire a primeira pedra quem nunca quis participar de um Chrismukkah com a família Cohen! Vou confessar que nunca superei isso. Chrismukkah é um dos meus feriados favoritos e ele nem existe de verdade. Não tá fácil.

3 – Doctor Who – The Snowmen (7×06)

doctor who_the snowmen__

Após perder seus companheiros, Amy e Rory, o Doutor está vivendo na Londres de 1892. Como ainda está abatido pela perda, ele não está muito interessado no que anda acontecendo no mundo. Porém ele se vê obrigado a investigar o motivo da neve aparentemente ter vida própria e estar criando uns bonecos de neve bem mal educados. Nesse meio nós ainda o vimos perseguindo Clara – sua futura companion – uma garçonete local que também trabalha como governanta dos dois filhos do Capitão Latimer. Aliás, ele fica chocado quando percebe que já havia conhecido Clara, porém em uma situação, época e planeta diferente. Juntos os dois lutam contra o Dr. Simeon, que conhece os bonecos de neve desde a infância.

Nesse episódio além de confirmarmos de vez que Clara é a futura companion, mesmo que seja a Clara de 2013, nós vemos que a moça tem mesmo potencial para o cargo e percebemos também que ela não é a mais convencional de todas quando fala que a TARDIS é menor por fora e não maior por dentro, como todos costumam falar. Outra coisa, temos a TARDIS estacionada nas nuvens. Sério gente, nas nuvens.

Especiais de Natal de Doctor Who! Especiais de Natal de Doctor Who! Para quem assiste a série sabe que esses episódios são como eventos. Ta aqui outra série que sabe o que é um especial de Natal como ninguém.

Então, qual o episódio de Natal favorito de vocês?

Meninas, esse é o meu último post do ano, então Feliz Natal, Feliz Ano Novo, Feliz Hannukah, enfim, Feliz seja lá o que vocês gostam de comemorar. Que 2014 seja lindo para todas nós. JÁ PODE VIR 2014, POR FAVOR!

Beijos.

Olá gente linda! Como vocês estão? Gostaram da indicação de semana passada? Quem conhecia a série já assistiu a primeira parte de Skins – Fire? O que achou? Skins não poderia ter escolhido um jeito melhor para acabar. Mal posso esperar para os episódios do Cook e da Cassie.

Hoje eu termino essa minha saga britânica. Confesso que to amando, afinal pra quem ama o sotaque essas séries são um prato cheio e sem contar que as duas séries são as minhas queridinhas nesse mundo recheado de infinitas histórias. Vamos ao que interessa, todo mundo veio preparado para essa viagem? Eu estava conversando com o piloto e parece que não vamos precisar de nada mais elaborado do que estamos vestindo mesmo, aliás não se assustem com o nosso meio de transporte, ele é maior por dentro. Sejam bem-vindos a esse mundo maluco.

 Doctor Who

Doctor-Who-Matt-Smith___

Vou começar contando a minha história com a série. Eu a conheci em 2007 quando anunciaram que uma banda que eu gosto muito faria uma participação em um episódio da terceira temporada. Fãs vocês sabem como são, assistem tudo o que puderem das bandas favoritas, por sorte na época eu tinha o canal que passava a série e lá fui eu assistir ao tal episódio. A banda aparece bem no início, mas eu assisti até ao final, confesso na época eu não entendi nada do que tava acontecendo, apenas achei ela a série mais bizarra da vida. Ai há alguns meses, já perto de todas as series finale, eu comecei a procurar por novas coisas para assistir.

Enquanto eu entrava em vários sites procurando uma nova série, em todos eles só se falava da mesma coisa, um mega especial de uma tal série que ocorreria no final do ano. Confesso que achei isso um sinal divino. Tudo apontava que eu deveria começar a assistir Doctor Who. O especial que todos os sites falavam era do Especial de 50 anos da série. Isso mesmo, 50 anos! Vou te contar, não é qualquer série que consegue atingir essa marca.

Doctor Who mostra as aventuras do Doutor (o personagem mais legal do universo. De todos eles!), um alien de aparência humana, o último de sua espécie, os “Time Lords” (Senhores do Tempo), que viaja no tempo e no espaço a bordo da TARDIS, sua nave espacial que por fora é uma cabine policial azul de madeira dos anos 60, mas por dentro ela é gigante. Aliás é impossível não querer “ir ali” a bordo da TARDIS.

DW parece ser uma maluquice e de fato é. De início as histórias de cada episódio parecem independentes, mas quando vai chegando a season finale tudo se junta. E acredite, no final tudo faz sentido. A série não leva nada a sério, eles fazem piadas com tudo. Mas com tudo MESMO. Nem a família real escapa das gozações. O Doctor adora fazer umas viagens para as épocas de acontecimentos históricos, como a destruição da Pompéia e a Segunda Guerra Mundial; e nesse meio ele sempre se encontra com personagens que marcaram a história como, por exemplo, Shakespeare, Agatha Christie, Vincent Van Gogh, Rainha Victória e vários outros.

Vou confessar que quando pensei em falar sobre Doctor Who eu achei que seria mais fácil, mas acontece que é muito difícil falar dela sem parecer uma maluca que está divagando sobre coisas aleatórias. Aliás, isso é uma característica do Doctor, algumas vezes ele começa a viajar nas ideias e se você não prestar muita atenção ao que ele está falando você fica completamente perdido. Mas de novo, tudo faz sentido.

O que ajuda a série ser tão boa, com certeza são os atores que fazem o Doctor. Sim, atores. Uma das mitologias da série é a forma como o Doctor “escapa” da morte. Ele se regenera, mudando todas as células do seu corpo e assim se tornando uma nova pessoa. Quando isso acontece, dá muita raiva e vontade de odiar o próximo ator que fará ele. Mas a raiva passa bem rápido, digo isso por experiência própria. Eu assisti três temporadas odiando o ator que entraria na quinta temporada, mas depois dos primeiros 5 minutos eu já estava amando ele.

The-Eleven-Doctors-doctor-who-18277364-1280-800.jpg

Ok, aqui eu acho que a sua cabeça já está bem confusa. Então vou começar a explicar essa história de 50 anos, troca de atores e tudo mais. SIM, DW esse ano completa 50 anos. A série foi ao ar pela primeira vez em 23 de novembro de 1963, ou seja, nós temos 33 temporadas no total. Mas antes que vocês comecem a me xingar por estar indicando uma série com tantos episódios, CALMA! São 26 temporadas clássicas e 7 temporadas atuais. Eu nunca assisti nenhum episódio da série clássica e isso definitivamente não atrapalha no entendimento. E para comemorar essa marca, no dia 23 de novembro, a BBC vai exibir um especial.

Como vocês podem ver, Doctor Who é uma série bem antiga e não teria como o mesmo ator ficar na pele do Doutor por tanto tempo. A série passou um tempo sem ser exibida na TV, ela voltou em 2005 com o 9º Doctor da história, que era interpretado pelo Christopher Eccleston, ele ficou apenas por uma temporada e no ano seguinte, em 2006, após uma regeneração do Doctor, David Tennant ocupou o posto como o 10º Time Lord. Após três temporadas maravilhosas, Tennant se despediu e Matt Smith (o moço da foto lá em cima) surgiu para que a gente pudesse amar ele também. Como eu disse ali em cima, eu assisti todas as temporadas do 10º Doctor odiando o Matt, mas depois de 5 minutos assistindo a quinta temporada eu já amava ele e achava ele perfeito no papel. No vídeo ali em cima é o Matt Smith com o David Tennant no behind the scenes do especial de 50 anos.

Gente, eu poderia passar a minha vida falando sobre Doctor Who, mas eu acho que já falei demais e olha que eu nem falei de tudo que eu queria. Muita gente já deve até desistido de assistir a série. Devem estar achando que isso tudo não passa de um sonho muito estranho meu, mas DW é uma série eu indico pra todo mundo sem me preocupar, porque sei que ela é excelente e vai além de tudo que eu escrevi aqui, ela é bem melhor, acreditem. Só uma viagem na TARDIS para fazer você entenderem bem toda essa maluquice.

Espero que gostem da indicação. Semana que vem tem mais.

Beijos.