Olá pessoal, como estão? Eu estou ótima e espero que vocês também. Aproveitando que faltam cerca de 20 dias para o Dia dos Namorados e todo mundo já está entrando na vibe de uma das épocas mais românticas do ano, o filme de hoje mostra bem um casal vivendo uma relação bem intensa.

loucamente apaixonados 1_

Loucamente Apaixonados (Like Crazy, 2011) conta a história de Anna (Felicity Jones) uma intercambista britânica nos Estados Unidos, que se apaixona pelo colega de classe Jacob (Anton Yelchin). Os dois iniciam uma relação onde ficar longe um do outro não é uma opção. Após a formatura, Anna decide passar o verão inteiro com Jacob sem pensar nas conseqüências de se manter no país com o seu visto de estudante vencido. Após retornar de Londres para Los Angeles, ela é detida no aeroporto e a sua entrada no país é negada e ela é deportada para Inglaterra por conta do seu problema com o visto.

loucamente apaixonados 2_

O casal tenta manter uma relação à distância, mas com o tempo as coisas vão ficando frias entre eles. Enquanto Anna está em Londres fazendo o possível para conseguir voltar aos Estados Unidos, Jacob consegue abrir o seu próprio negócio e começa a juntar dinheiro para ir a Inglaterra visitar a garota. Quando ele consegue ir para Londres, ele logo descobre que os pais de Anna contrataram um advogado apenas para cuidar dessa situação e o pai dela sugere que os dois deveriam se casar para agilizar todo o processo. Jacob não gosta muito da idéia e desiste de pensar nisso durante o tempo que está em Londres.

loucamente apaixonados 3_

Entre idas e vindas o casal decide se casar e afirmam que nunca permitirão que nada irá destruir os sentimentos que eles sentem um pelo outro. Jacob então retorna para os seus negócios em Los Angeles enquanto eles esperam seis meses para poderem entrar com uma nova apelação para conseguir um visto para Anna. Jacob retorna para a Inglaterra, para entrarem com o recurso, porém eles não conseguem novamente. Os dois então vêem o relacionamento começar a afundar por conta de todos os problemas burocráticos mais a distância que os separam.

Confira aqui o trailer do filme!

Loucamente Apaixonados é um filme interessante, porque a relação entre a Anna e o Jacob é tão forte que em alguns momentos você meio que se sente parte de tudo aquilo que eles estão passando, de ter que ficar longe um do outro, ver tudo que eles sonharam e desejaram escorrer pelas mãos. O crescimento pessoal deles também é outra coisa bem visível. No início eles eram dois adolescentes apaixonados e em pouco tempo eles se tornam adultos que têm que lidar com todas as conseqüências da falta de responsabilidade no passado.

Olha, bem que eu queria alguém igual ao Jacob na minha vida. Já pensou eu ligar lá pra Londres e falar “oi, estou com saudades. Te amo” e pessoa pegar o primeiro vôo só pra acabar com isso? Senhor, cadê o botão vermelho e grande para transformar isso em realidade? Enfim, brincadeiras a parte, o filme é bom e eu gostei bastante do roteiro, mas o final é frustrante. Confesso que fiquei meio revoltadinha, esperava algo melhor. Quando eu achei que ia engrenar algo os créditos começaram a subir. Então se você for assistir a Loucamente Apaixonados nesse final de semana ou em qualquer outro dia, se prepare psicologicamente para um final que deixa a desejar.

Espero que gostem. Até semana que vem.

Beijos.

Olá pessoal, como estão? Eu estou sofrendo de depressão pós show e olha, não ta legal! Mas o bom é saber que eu não estou sozinha nessa. Mas enfim, sem lamentações aqui. Hoje eu escolhi um filme que é de longe um dos meus favoritos. Orgulho e Preconceito (Pride and Prejudice, 2005) é uma paixão eterna aqui em casa. Eu e minha mãe paramos tudo o que estivermos fazendo para assistir.

orgulho e preconceito 1_

Orgulho e Preconceito é baseado em um dos romances clássicos da Jane Austen de mesmo nome. A história se passa na Inglaterra, em 1797 e conta a história da família Bennet, que é composta pelo Senhor e Senhora Bennet (Donald Sutherland e Brenda Blethyn respectivamente) e suas cinco filhas – Jane (Rosamund Pike), Elizabeth – Lizzy (Keira Knightley), Mary (Talulah Riley), Kitty (Carey Mulligan)e Lydia (Jena Malone). As cinco moças foram criadas por uma mãe fissurada em casá-las com homens relativamente ricos, para que garantissem um bom futuro, sem que passassem por necessidades. Porém Elizabeth, uma das filhas mais velhas, não concorda com as atitudes da mãe e está decidida a não se casar, a menos que seja por amor verdadeiro.

Quando o Senhor Bingley (Simon Woods), um jovem solteiro e rico se muda para Natherfield – para uma mansão vizinha – as coisas mudam. O jovem é apresentado para a sociedade junto com sua irmã Caroline (Kelly Reily) e seu amigo Senhor Darcy (Matthew Macfadyen). Bingley logo se encanta por Jane, a filha mais velha do Senhor Bennet, assim como ela por ele. Enquanto isso, Elizabeth começa a nutrir uma antipatia por Darcy, depois que ele recusa todas as tentativas de conversa da moça e ela ainda o escuta dizendo para Bingley que ela “não é bonita o suficiente”.

orgulho e preconceito 2_

Quando todos acham que Bingley iria pedir Jane em casamento, o jovem retorna inesperadamente para Londres e deixa à moça. Elizabeth então sugere que a irmã vá para a casa dos tios na cidade para que ela não perca o contato com ele, porém sem sucesso. Meses mais tarde, durante uma visita a sua amiga Charlotte Lucas (Claudie Blakley) em Rosings, Lizzy – assim como a amiga e o marido – são convidados para jantar na mansão de Lady Catherine (Judi Dench), onde encontram Darcy e o Coronel Fitzwilliam. Durante o jantar Darcy começa a demonstrar bastante interesse em Elizabeth. No dia seguinte, o coronel Fitzwillian conta para Lizzy como Darcy é um bom amigo e como ele salvou o Senhor Bingley de um casamento cuja família da moça não havia sido considerada apropriada, ela logo entende que ele está falando de sua irmã, Jane.

orgulho e preconceito 3_

Aflita com tudo que o coronel havia lhe contado Elizabeth se isola, mas Darcy logo a encontra e decide que aquele é o momento apropriado para declarar o seu amor pela moça, mesmo que a posição dela na sociedade seja inferior a dele, mas ela logo recusa e afirma que ele seria o último homem na terra com quem ela poderia se casar um dia. Após a discussão, Darcy escreve uma carta para Lizzy explicando todas as indagações que ela fez a ele. Após uma série de acontecimentos, ela descobre como Darcy largou seu preconceito de lado e fez o possível e o impossível para ajudar a ela e sua família, sem que ela ficasse sabendo. Ele inclusive leva o Senhor Bingley de volta a Natherfield para que ele finalmente peça Jane em casamento.

Confira aqui o trailer do filme!

Orgulho e Preconceito é um dos meus romances favoritos. O filme é tão excelente quanto o livro, que – pra mim – é uma das melhores adaptações que eu já assisti (Conheço pessoas que preferem a adaptação de 1995 da BBC com o Colin Firth como Senhor Darcy, mas eu não consigo aceitar ele nesse papel). Jane Austen tinha o dom para escrever os melhores dramas, é incrível isso. Desde o primeiro encontro entre Darcy e Elizabeth nós já sabemos quem é o orgulho e quem é o preconceito e no decorrer do filme nós vemos como eles vão deixando esses estereótipos de lado.

Para quem gosta de um filme de época, esse é uma boa pedida. Os cenários, as roupas, a fotografia e a trilha sonora definitivamente te levam para a Inglaterra do final do século 18. Confesso que um dos meus sonhos é participar de um baile parecido com os que são mostrados no filme. As danças sincronizadas, os vestidos longos, enfim, tudo me faz ter vontade.

Alguém já leu e já assistiu a esta adaptação de Orgulho e Preconceito? Espero que gostem! Semana que vem tem mais.

Beijos!