Para assistir: Se eu ficar

Bom dia, gente. Como foi a semana de vocês? Essa semana eu trouxe um filme com a Chloe Grace Moretz, aquela atriz que atuou em filmes como Kick-Ass e Carrie. Se eu ficar estreou no ano passado e foi muito comparado com A Culpa é das Estrelas.

seeuficarfilme

Se Eu Ficar apresenta a triste história da família Hall, cuja estrutura foi literalmente abalada por um acontecimento terrível. Os pais de Mia Hall (Chloe Moretz), o casal de roqueiros Denny (Joshua Leonard) e Kat Hall (Mireille Enos) são espontaneamente alegres e meio desajeitados, mas possuem um amor imenso pelos filhos. O foco principal do filme não se dá apenas pela relação de Mia com os pais, seu irmão mais novo e sua melhor amiga, mas sim por seu relacionamento amoroso com Adam Wilde (Jamie Blackley). O filme relata cada passo do envolvimento entre os dois, desde a primeira vez que o músico vê Mia enquanto ela tocava seu violoncelo até o momento em que a relação deles começa a ter seus primeiros obstáculos.

seeuficarfilme2

Durante uma viagem para visitar os avós, Mia e sua família sofrem um terrível acidente na estrada. Em coma, a garota passa por uma experiência fora do corpo. Ainda no local do acidente, vê sua família e o seu próprio corpo serem levados ao hospital. Chegando lá, presencia as tentativas da equipe médica em salvá-los e o desespero dos familiares. Diante daquela situação, Mia se vê obrigada entre a decisão de lutar para despertar e retomar a vida ou simplesmente desistir e morrer. A partir desse momento, toda a história dela, de sua família e do relacionamento com Adam são mostrados em flashback.

Posso afirmar que não é o tipo de filme que vai agradar a todos – ele tem um público específico, mas com certeza tem seu valor. A trilha sonora é ótima, assim como a fotografia e o elenco. Gosto bastante da Chloe Moretz, ela é uma grande revelação entre as atrizes de sua idade. O restante dos atores também não deixaram a desejar, cada um exercendo bem o seu papel.

SeEuFicar_04

Se você é uma pessoa emotiva, já prepare os lencinhos. Espero que tenham gostado da dica da semana! Tem resenha do livro aqui.

Fiquem com o trailer:

Já assistiram? Gostaram? Conta pra gente!

Beijos.

Livro do dia: A Lua de Mel

Olá pessoal, como estão? Gostaria muito que alguém me explicasse qual a necessidade desse calor. Sério, não está fazendo o menor sentido isso, mas enfim, eu não vim aqui para reclamar do calor, mesmo que eu tenha uma lista de coisas sobre o assunto. As férias de todo mundo já acabaram? Será que ainda dá tempo de indicar mais um livro? Porque olha, é para isso que eu estou aqui hoje. Espero que gostem.

O livro dessa semana é o “A Lua de Mel” da Sophie Kinsella. O livro conta a história de Lottie, uma moça com mais de 30 anos que visivelmente acha que está pronta para subir ao altar, porém seu namorado não tem esse mesmo pensamento. No dia em que acha que vai escutar a grande pergunta, acaba por descobrir que Richard, o atual namorado, queria apenas convidá-la para uma viagem. Decepcionada com isso, ela da um basta e decide terminar a relação.

a lua de mel

A irmã mais velha de Lottie, Fliss,  sempre soube que a irmã era meio sem noção e impulsiva e que sempre faz escolhas infelizes quando termina um relacionamento, porém dessa vez ela não esperava que Lottie fosse longe demais e aceitasse a proposta absurda de Ben, um ex-namorado da irmã. A proposta nada mais é do que uma promessa que eles fizeram ainda adolescentes, que se casariam caso estivessem solteiros depois dos 30 anos. Lottie que está desesperada agarra a oportunidade na hora e desiste de tudo que sempre sonhou para o seu casamento. Porém para saber se Ben está realmente apaixonado como ele diz, ela faz uma greve de sexo que só acabará no dia da lua de mel. Ambos desesperados marcam a cerimônia no civil para apenas duas semanas após o reencontro e partem rapidamente para lua de mel em Ikonos, a ilha grega onde se conheceram na adolescência.

Fliss que está passando por um divórcio conturbado, sabe que Lottie logo se arrependerá desse casamento às pressas. Ela então junto com Lorcan – que trabalha na mesma empresa que Ben, e que acha que essa união irá atrapalhar a carreira do amigo – decidem impedir que os dois se casem.  Fliss com a ajudinha de um amigo em Ikonos traça um plano para sabotar a lua de mel da irmã, pois ela descobriu que se não houver sexo o casamento poderá ser anulado.

Eu ainda não terminei de ler “A Lua de Mel”, mas já passei da metade e estou amando o livro. Em alguns momentos Sophie Kinsella me lembra a Meg Cabot no modo sagaz de escrever e em como algumas de suas personagens se parecem. Eu já dei boas gargalhadas com a história, porque afinal tem coisa mais absurda do que tentar destruir a noite de núpcias de alguém? Eu como uma boa leitora sem graça andei dando uma olhada nas páginas finais e sei que alguma coisa bem tensa vai acontecer (não sei o que!), e olha, parece ser bem surpreendente.

Eu super recomendo a leitura para quem gosta de uma história de amor diferente, com momentos bem engraçados e nada clichês. Mentira, tem vários clichês, mas o que seria da vida sem eles?

Espero que gostem da dica, pois eu estou amando. Já leram esse? Gostaram? Recomendam outros livros da Sophie Kinsella?

Beijos.

Oi pessoal, como estão? Depois de um mês de férias eu finalmente voltei. Durante a minha viagem eu não tive muito tempo para colocar a minha leitura em dia, ou seja, to com vários livros empilhados e se Deus quiser, um dia eu termino de ler todos. Bom, pelo menos um deles eu já terminei e eu apareci aqui hoje para falar dele.

Semana passada eu comprei o livro A Probabilidade Estatística do Amor à Primeira Vista” da escritora Jennifer E. Smith. Uma frase que define bem a história é: E se? E se Hadley não tivesse se atrasado por quatro minutos e perdido o seu voo? Bom, provavelmente nada dessa história fofinha teria acontecido.

a probabilidade estatística do amor à primeira vista

Naquela manhã Hadley já acorda imaginando que aquele seria o pior dia de sua vida, afinal estava indo para Londres para ir ao casamento de seu pai com alguma inglesa que ela nunca tinha visto na vida e aquilo para ela era com a celebração do fim de sua família. Não acreditava que sua mãe estava aceitando aquilo muito bem. Como aquele dia já estava fadado ao fracasso claro que ela conseguiu perder seu voo e teria que ficar horas presa no aeroporto até o próximo voo. Durante a espera Hadley conhece Oliver, um britânico fofo que graças ao destino senta-se ao seu lado na viagem para Londres. Durante as sete horas de viagem os dois conversam sobre a vida, sonhos, formas das nuvens, Charles Dickens, futuro e várias outras coisas. Porém ao chegarem à alfândega são obrigados a se separar e só Deus sabe se conseguiram se encontrar novamente. O destino age novamente e eles se encontram, mas nem tudo são flores.

Com “A Probabilidade Estatística do Amor à Primeira Vista” eu bati o meu record no tempo em que levei para ler um livro. Eu sentei na minha cama umas 18h com a intenção de ler apenas o prólogo e quando percebi já era 23h e eu já estava nas páginas finais. A escrita é simples e a leitura é muito fácil, sem contar que você se envolve na história e não quer parar de ler.

O relacionamento de Hadley e Oliver é construído aos poucos – mesmo que a história se passe em apenas 24 horas – mas não é como se eles tivessem acabado de se conhecer e já se amam e querem ter filhos, não. Eles conversam muito e tentam compreender os problemas um do outro. Não que Oliver fale abertamente sobre os seus, mas com o tempo Hadley começa a entender o jovem.

Segundo o livro pessoas que se encontram em aeroportos tem 72% mais chance de se apaixonarem que as pessoas que se encontram em outros lugares. To muito velha para querer fazer minhas malas e passar umas horas lá no aeroporto? Haha Vai que eu dou a sorte, não é mesmo?

Espero que gostem da indicação. Quais os livros que vocês estão lendo nesse final de férias?

Beijos.

Filme: Questão de Tempo

Bom dia, minha gente! Tudo certo? E esse calor maldito que não vai embora? Não sei quanto aos outros estados, mas o Distrito Federal vai virar um caldeirão qualquer dia desses! Anyway, não estou aqui para falar de temperatura, vamos ao que interessa. Essa semana eu trouxe um filme muito interessante que assisti há alguns dias, trata-se de “Questão de Tempo”.

21053062_20131025204305591

A trama gira em torno de Tim (Domhnall Gleeson), que aos 21 anos descobre que os membros masculinos de sua família possuem a habilidade de viajar no tempo.  A confidência é feita por intermédio de seu pai, que lhe provocou a usar a habilidade de maneira inteligente e somente para lhe trazer felicidade. Tim, que não era muito habilidoso na arte de conquistar mulheres, decidiu então que iria se aproveitar de seu dom para tentar arrebatar o coração de alguma garota. Depois de uma tentativa frustrada com uma amiga de sua irmã, ele decide se mudar para Londres e tentar a sorte novamente. Lá ele conhece Mary (Rachel McAdams), por quem se apaixona. Mas por voltar várias vezes no passado, ele acaba alterando sua realidade e precisa fazer de tudo para conhecer Mary mais uma vez. Com o passar do tempo, Tim foi percebendo que algumas coisas não poderiam ser mudadas e que ele não seria poupado da ordem natural da vida.

questão-de-tempo-2

A história passa uma mensagem importante que é a das responsabilidades que vamos adquirindo com o passar da vida e quanto precisamos ser mais atenciosos com as atitudes que tomamos.  Os jovens são  naturalmente impulsivos e tendem a resolver seus problemas de maneira rápida e superficial. Essa etapa da vida de Tim permitia a ele uma liberdade absurda de voltar no tempo e corrigir o que quisesse, mas conforme o tempo foi passando e a sua família se constituindo o risco em voltar no tempo e estragar algo que ele já estabeleceu lhe impede de começar a alterar o rumo de algumas coisas que lhe incomodam. O que foi incrível, pois fez com que Tim se prendesse ao futuro e entendesse que precisava se adaptar como qualquer outra pessoa comum e aprender a enfrentar seus erros e acertos sem utilizar seu dom.

Confira o trailer de Questão do Tempo:

Eu recomendo que assistam ao filme, além das ótimas atuações, a história é linda. Até mais!

Beijos!

Filmes com o Gerard Butler

Olá gente linda, como estão? Semana passada não deu para aparecer por aqui, mas hoje a programação volta ao normal. Todo mundo curtindo o Rock In Rio? Alguém foi assistir ao vivo ou estão como eu? Assistindo pelo Multishow e achando a vida bonita assim mesmo. Estou animada para os shows de hoje e amanhã. Sábado vai ter show do Bruce Springsteen e eu mal posso esperar.

gerard butler__

Vou parar com a enrolação, hoje eu escolhi dois filmes de outro ator que eu adoro e particularmente acho uma graça (eu casaria!), o Gerard Butler. Vocês já devem ter visto o ator escocês em vários filmes, desde comédias românticas, como a Verdade Nua e Crua (2009), até filmes com bastante ação, por exemplo, Rock’n’Rolla: A Grande Roubada (2008). Bom, eu escolhi dois bem diferentes um do outro. Espero que vocês gostem.

1 – Código de Conduta (Law Abiding Citizen, 2009)

código-de-conduta__

Código de Conduta mostra a história de Clyde Shelton (Gerard Butler) um pai que vê sua mulher e filha serem assassinadas. Quando os assassinos são presos, o procurador Nick Rice (Jamie Foxx) assume o caso, e na cabeça dele é melhor ter alguma justiça do que não ter nenhuma. Com isso um dos assassinos recebe uma pena de cinco anos e o outro é solto em troca de informações sobre um de seus cúmplices. Porém Clyde não aceita ver os culpados livres e decide fazer justiça com as próprias mãos. Dez anos depois um dos assassinos que havia sido solto é encontrado morto e Clyde assume a autoria do crime, avisando a Nick que todos os envolvidos no caso – tanto os criminosos como os advogados e juiz – sofreriam as consequências do ocorrido anos atrás. Ele é preso, porém de dentro de sua cela consegue planejar e executar diversos assassinatos que ninguém consegue prever.

Acho esse filme tão bom que não tenho palavras. Gosto desse tipo de filme que mostra as falhas no sistema judicial americano, inclusive esse é um dos objetivos de Clyde o filme, denunciar tais problemas. O modo como todos os assassinatos são executados são ótimos, às vezes até quem está assistindo fica na dúvida de como ele conseguir planejar e realizar tudo. Eu não sou a maior fã do final – SEM SPOILERS – eles acabam com tudo na hora do clímax e isso meio que corta o nosso barato. Pra quem gosta de ação e suspense Código de Conduta é uma ótima opção, tem uns momentos bem tensos e a atuação do Gerard Butler está incrível.

2 – P.S. Eu Te Amo (P.S. I Love You, 2007)

p_s_i_love_you__

P.S. Eu Te Amo é baseado no livro homônimo da irlandesa Cecelia Ahern e conta a história de Holly Kennedy (Hilary Swank) que é casada com Gerry (Gerard Butler), um irlandês charmoso que tem uma doença que futuramente irá tirar a sua vida. Quando seu marido morre, Holly entra em depressão e o único que poderia ajudá-la não está mais lá. Gerry conhecendo bem a mulher e sabendo que ela se entregaria e desistiria de viver por conta da perda, prepara uma série de mensagens com o objetivo de guiar a esposa para uma recuperação e para uma nova vida. A primeira mensagem chega no dia do aniversário de 30 anos de Holly, deixando a moça surpresa, e nos meses seguintes várias outras chegam e todas elas terminam da mesma forma, com um simples “P.S. Eu Te Amo”.

E foi com esse filme que eu conheci o Gerard Butler. Eu amo romances e esse definitivamente está entre os meus favoritos. Aqui em P.S. Eu Te Amo o Gerard Butler nem é exatamente o principal, mas ele é a chave de toda a história e eu acho lindo como ele prepara tudo para que a esposa não desista e siga com a vida, mesmo sem ele ao seu lado. Confesso que derramei algumas lágrimas, as cartas e mensagens que ele deixa pra ela são lindas. Hilary Swank está maravilhosa no filme e aqui nós ainda temos a participação de Lisa Kudrow, a eterna Phoebe de FRIENDS, fazendo o papel de uma das amigas de Holly que a ajuda a realizar o que está escrito em uma das cartas ela recebe. Pra quem está a fim de reunir as amigas pra comer aquele brigadeiro delícia e assistir a um filme bem água com açúcar, P.S. Eu Te Amo é uma ótima opção.

E aí, gostaram dos filmes? Semana que vem tem mais.

Beijos.

 

Depois de um mês lendo (enrolando) com o livro Carolina se Apaixona, finalmente consegui concluir. A história se passa em Roma nos anos entre 2006/2007 e é vivida por Carolina e suas amigas Alis (Alice) e Clod (Claúdia) todas elas tem aproximadamente 14 anos de idade e estão curtindo a adolescência, descobrindo o primeiro beijo, o primeiro amor e a primeira vez. Carolina vive com seus pais, seu irmão Rusty James que sonha em ser um escritor famoso e sua irmã Alê que vive pegando no seu pé. Mais também mantém uma relação cheia de amor e carinho com seus avós.

SDC12660

Carolina conhece o amor da sua vida, chamado Massi por uma informação que ele estava procurando e desde então ela se apaixona pelo garoto. Porém, um dia que ela está voltando para casa é roubada e perde o telefone aonde se encontrava o contato de Massi. Após isso, Carolina passa um tempo procurando ele por todos os lugares de Roma e não o encontra. Neste período a garota conhece vários outros meninos e vive as desilusões dos amores que conquista e as decepções que a vida vai mostrando com o tempo. Até que um dia ela e suas amigas Alis e Clod estão se divertindo em uma festa com os amigos do colégio e se encontra com Massi novamente o encontro é intenso e romântico.

Morre lentamente quem evita uma paixão, quem prefere o preto sobre o branco e os pontos sobre os “is” em detrimento de um redemoinho de emoções, justamente as que resgatam o brilho dos olhos, sorrisos dos bocejos, corações aos tropeços e sentimentos… (página 366)

Achei a leitura super cansativa 🙁 (comprei o livro pela capa ser bonitinha e li o contexto atrás e achei interessante, mas…) sem contar que o livro não é organizado em capítulos. O livro é um romance italiano, há expressões em inglês e frases em italiano também ambas sem tradução nenhuma na própria página e no rodapé, infelizmente você tem que ir até a última página conferir o que significa.

[…] Aqueles que morrem realmente são os que não vivem. Aqueles que se controlam, porque pensam demais no que os outros vão dizer. Que fazem concessões à felicidade. Aqueles que agem sempre do mesmo modo pensando que não podem fazer nada diferente, que acreditam que amar seja uma gaiola, que não fazem nunca pequenas loucuras para rir de si mesmos ou dos outros. Estão mortos aqueles que não sabem pedir ajuda e muito menos sabem dar. 

Carolina se Apaixona

Autor: Federico Moccia

Páginas: 398

Vocês já leram esse livro?

Beijokas!!