Séries para rir

Olá gente linda, como estão? Só eu acho que já fazem 6 meses que é Agosto? Pois é, devo estar achando isso porque quero muito que setembro chegue logo. Mas enfim, continuando com as indicações de séries, essa semana vou falar de sitcom – que são geralmente aquelas séries de 20 minutos cada, que apresentam personagens comuns em histórias de humor em ambientes como família, trabalho, grupo de amigos etc. Eu escolhi duas, uma que já conta com quatro temporadas e outra que é uma estreia no Fall Season, que estão dentro desse estilo.

1 – The Middle (2009 – )

the middle__

The Middle conta a história dos Heck, uma família de classe média que mora na cidade fictícia de Orson, Indiana. Frankie (Patricia Heaton) é casada com Mike (Neil Flynn) e eles são os pais de Axl (Charlie McDermott), Sue (Eden Sher) e Brick (Atticus Shaffer). No decorrer na série nós conhecemos mais sobre cada um, começando pela Frankie que é a narradora da história e para ela a família está sempre em primeiro lugar, apesar de estar sempre se frustrando com os filhos e com alguns parentes que insistem em julgar tudo o que ela faz; Mike é conhecido por sua honestidade e apesar de às vezes não parecer que se importa com a família, ele é um marido e pai que está sempre presente quando precisam de sua ajuda; Axl é o típico filho mais velho, só liga para si, é sarcástico, preguiçoso e às vezes malvado com os irmãos mais novos. Pode não parecer, mas Axl possui um bom coração e em vários momentos se importa com os outros; Sue é o que podemos chamar de fracasso social, ela tem amigos estranhos, parece falhar em tudo que tenta, porém ela é a personagem mais otimista e determinada de todas; e Brick é o filho mais novo. Ele é uma criança bem inteligente e estranha, com vários tiques nervosos, como o de sussurrar para si mesmo.

(me desculpem, não achei o vídeo com uma qualidade melhor.)

Confesso que eu tinha um preconceito enorme com The Middle. Eu assistia as propagandas na TV e achava todo mundo muito estranho, ninguém parecia combinar e sei lá, eu simplesmente não gostava. Até que um dia estava passando uma maratona e eu sentei para assistir. Hoje em dia ela é uma das minhas séries favoritas e já acho subestimada. The Middle não recebe todo o mérito necessário. O interessante dela é que mostra bem o estereótipo da família americana que acompanha todos os reality shows na TV, jogos de futebol americano e acreditem ou não, tem um episódio dedicado ao casamento do Príncipe William com a Kate Middleton, em que Frankie compra um TV nova apenas para poder acompanhar os detalhes do matrimônio real. Enfim, a família Heck volta no dia 25 de setembro nos EUA.

2 – The Crazy Ones (2013)

the crazy ones__

The Crazy Ones se passa em Chicago e vai mostrar o cotidiano das pessoas que trabalham em uma das melhores agências de publicidade da cidade, a Roberts&Roberts. O dono da empresa é Simon Roberts (Robin Williams) bem sucedido, meio maluco, genial e imprevisível publicitário com métodos um pouco diferentes de se trabalhar, que provavelmente o fariam ser demitido, e Sydney Roberts (Sarah Michelle Gellar), a filha de Simon, que é o braço direito e tem uma personalidade completamente oposta a do pai. A Roberts&Roberts conta com clientes de nível mundial e lá nós conhecemos Zach (James Wolk), Andrew (Hamish Linklater) e Lauren (Amanda Setton), que fazem parte da equipe, mesmo achando os chefes uns loucos por criarem maneiras incomuns para conseguirem e manterem os clientes.

Robin Williams, esse é o motivo para querer assistir The Crazy Ones. Quando fiquei sabendo que ele estaria como protagonista em uma série nova do Fall Season, eu nem quis saber sobre o que era a história, apenas decidi que com certeza iria assisti-la. Depois de ler a sinopse e assistir ao primeiro vídeo que foi liberado pela CBS eu só tive mais certeza que a série seria ótima e bem engraçada. Bem ao estilo do Robin Williams. Já estou torcendo para ela ganhar uma temporada completa e futuramente uma renovação para o ano que vem. The Crazy Ones estreia no dia 26 de setembro.

Espero que tenham gostado. Semana que vem tem mais.

Beijos.

Séries que quero assistir

Oi gente linda, como estão? Semana passada eu falei das séries novas que vão estrear no próximo Fall Season e que eu pretendo incluir na minha lista – nada curta – de coisas para assistir. Hoje eu vou falar de séries já estão na TV há algum tempo, já tem algumas temporadas e que eu pretendo, muito em breve, assistir.

Acho que em algum momento eu já falei que adoro produções britânicas e as séries que estão na fila para começar a fazer o download são direto da terra da Rainha.

1 – Sherlock (2010 – )

sherlock__

Sherlock conta as histórias do famoso detetive que mora na 221B – Baker Street, Sherlock Holmes. Porém a série não se passa na Era Vitoriana como os contos de Arthur Conan Doyle, ela se passa nos dias de hoje. O Dr. John Watson (Martin Freeman) se feriu na Guerra do Afeganistão enquanto servia como médico no exército britânico e com isso foi forçado a voltar para Londres. Devido ao acidente Watson passa a ter que usar uma bengala e desenvolve um caso de depressão e ainda por cima encontra-se desempregado e sem dinheiro. Durante um passeio, Watson encontra um amigo que diz conhecer um homem que está à procura de alguém para dividir um apartamento no centro da cidade. Esse homem obviamente é Sherlock Holmes (Benedict Cumberbatch), um detetive a quem a Scotland Yard recorre quando aparecem casos mais complicados. Sherlock é considerado um excêntrico por todos que o conhecem, visto que ele consegue desvendar a vida das pessoas apenas observando e fazendo algumas deduções, sem contar que poucos gostam da sua personalidade forte. O Dr. Watson então se muda para o apartamento de Holmes e no decorrer da série os dois começam a trabalhar juntos.

A série tem atualmente duas temporadas, com três episódios de 90 minutos cada. A terceira temporada já foi encomenda e por enquanto não tem data de estreia, que provavelmente deve acontecer no final do ano. Os episódios de Sherlock são todos adaptados e baseados nos contos escritos por Arthur Conan Doyle. Em 2011 a série ganhou o BAFTA de Melhor Série de Drama e o ator Martin Freeman (Dr. Watson) ganhou o BAFTA de Melhor Ator Coadjuvante.

2 – Downton Abbey (2010 – )

downton abbey__

Downton Abbey é uma série que se passa, em sua maior parte, em uma casa de campo fictícia em Yorkshire, chamada Downton Abbey. A história se passa no início do século XX, durante o reinado de Jorge V e conta a história da família Crawley. Tudo começa em Abril de 1912 quando a família recebe a notícia do naufrágio do RMS Titanic. Como Robert, o Conde de Grantham (Hugh Bonneville) teve apenas filhas seu título, a casa e a fortuna seriam herdados por seu sobrinho, mas ele e o filho estavam no acidente com o Titanic e foram considerados mortos. Sem nenhum herdeiro próximo, Matthew Crawley (Dan Stevens), um primo distante passa a ser o novo sucessor. A família então convida Matthew e Mrs. Isobel Crawley (Penelope Wilton), sua mãe, para ficarem Downton Abbey e se adaptarem ao novo estilo de vida. Porém a série não conta apenas à história da família Crawley, ela retrata também a vida de todos os empregados da casa, mostrando a diferença entre os dois grupos sociais e o fato dos criados saberem todos os segredos da família, enquanto eles não sabem nada sobre seus empregados.

A série tem atualmente três temporadas e a quarta está prevista para começar no início de 2014. Downton Abbey é um projeto que surgiu em 2008, após o produtor Gareth Neame pedir para Julian Fellowes criar o roteiro de uma série parecida com o seu filme, Gosford Park (2001). Em 2011 a série entrou para o Livro Guinness dos Recordes como o “programa de televisão em língua inglesa mais aclamado pela crítica” e em 2012 ganhou o Globo de Ouro de Melhor Minissérie ou Filme para Televisão.

Já conheciam alguma dessas séries? Qual série vocês recomendam? Espero que tenham gostado. Semana que vem tem mais.

Beijos.

Séries novas do Fall Season

Oi gente linda, como estão? Depois de uma semaninha de folga estou de volta. Wanessa foi pegar uma cor no Nordeste e eu me enfurnei no meu quarto para escolher quais séries novas eu iria assistir. Vejam bem como a vida anda animada. Haha

Para quem é viciado em alguma série ou em várias, como eu, sabe que a época mais feliz do ano está chegando e eu estou contando os segundos para esse momento. A Fall Season¹ começa oficialmente mês que vem com as estreias das novas temporadas e com a estreia de várias novas séries. Por que já não bastasse ter uma lista extensa de coisas para assistir, ainda me aparece novas histórias super legais pra acrescentar. Não é fácil viver com esse vício sem fim.

Pra essa semana eu escolhi duas séries novas que eu com certeza irei assistir. Ambas são da CW, aquele canal que todo mundo adora falar mal só porque a maioria de suas séries são voltadas para um público mais jovem.

1 – The Tomorrow People (09 de Outubro)

the tomorrow people__

The Tomorrow People vai contar a história de Stephen Jameson (Robbie Amell), um adolescente que começa a ouvir vozes e se teletransportar durante o sono. Ao achar que está ficando maluco o jovem procurar tratamento, mas nada é resolvido. Desesperado, ele decide ouvir as vozes em sua cabeça que o leva ao encontro de outros jovens com dons parecidos com os seus, os Tomorrow People – uma raça geneticamente avançada. Como nem tudo são flores, eles têm que escapar da Ultra, um grupo paramilitar de cientista, liderados pelo Dr. Jedikiah Price (Mike Pellegrino), que acha que os jovens são uma ameaça para a humanidade.

Como eu já disse em outro post, eu adoro essa coisa de super herói, poderes e tudo mais, ou seja, essa é a minha motivação para assistir a série. Sem contar que pela prévia já da pra ver que a série vai ter bastante ação, conflito familiar, uns personagens pra gente odiar, não vai ser só mais uma série adolescente com as mesmas histórias de sempre, enfim, a série é a nova aposta da CW – depois de Arrow – e a minha também. Já to quase colocando ela como favorita nas estreias.

2 – The Originals (03 de Outubro)

THE CW UPFRONTS 2013

The Originals irá se passar em New Orleans e contará a história de Klaus (Joseph Morgan) e sua família – Elijah (Daniel Gillies) e Rebekah (Claire Holt), tentando retomar o poder da cidade, que ajudaram a construir no passado. Para isso, Klaus precisa tirar do “trono” o amigo e protegido, Marcel (Charles Michael Davis), que agora possui total controle sobre os humanos e os seres sobrenaturais que vivem em New Orleans. Determinado a ajudar o irmão, Elijah o segue e logo descobre que Hayley (Phoebe Tonkin), uma lobisomem e ex-rolo de Klaus, também está na cidade em busca de pistas a respeito da história de sua família, porém a jovem acabou nas mãos de Sophie Deveraux (Daniella Pineda), uma poderosa bruxa que também quer tirar Marcel do poder.

The Originals é um spin-off² de The Vampire Diaries e quem acompanha a história de Stefan, Damon e Elena em Mystic Falls está contando até os milésimos pra assistir a série que vai focar na família original. Como uma fã de TVD, meio decepcionada com a última temporada, eu tenho o Klaus como um dos meus personagens favoritos. Ele foi e sempre será o melhor vilão de todos, não só ele como a família toda. Uma série só deles é um sonho meu sendo realizado.

Fall Season¹: Período em que a maioria das séries da TV americana voltam ou começam a ser exibidas.

Spin Off²: Série derivada.

Qual série nova vocês pretendem assistir? Espero que tenham gostado. Semana que vem tem mais.

Beijos.

Olá gente linda! Como vocês estão? Gostaram da indicação de semana passada? Quem conhecia a série já assistiu a primeira parte de Skins – Fire? O que achou? Skins não poderia ter escolhido um jeito melhor para acabar. Mal posso esperar para os episódios do Cook e da Cassie.

Hoje eu termino essa minha saga britânica. Confesso que to amando, afinal pra quem ama o sotaque essas séries são um prato cheio e sem contar que as duas séries são as minhas queridinhas nesse mundo recheado de infinitas histórias. Vamos ao que interessa, todo mundo veio preparado para essa viagem? Eu estava conversando com o piloto e parece que não vamos precisar de nada mais elaborado do que estamos vestindo mesmo, aliás não se assustem com o nosso meio de transporte, ele é maior por dentro. Sejam bem-vindos a esse mundo maluco.

 Doctor Who

Doctor-Who-Matt-Smith___

Vou começar contando a minha história com a série. Eu a conheci em 2007 quando anunciaram que uma banda que eu gosto muito faria uma participação em um episódio da terceira temporada. Fãs vocês sabem como são, assistem tudo o que puderem das bandas favoritas, por sorte na época eu tinha o canal que passava a série e lá fui eu assistir ao tal episódio. A banda aparece bem no início, mas eu assisti até ao final, confesso na época eu não entendi nada do que tava acontecendo, apenas achei ela a série mais bizarra da vida. Ai há alguns meses, já perto de todas as series finale, eu comecei a procurar por novas coisas para assistir.

Enquanto eu entrava em vários sites procurando uma nova série, em todos eles só se falava da mesma coisa, um mega especial de uma tal série que ocorreria no final do ano. Confesso que achei isso um sinal divino. Tudo apontava que eu deveria começar a assistir Doctor Who. O especial que todos os sites falavam era do Especial de 50 anos da série. Isso mesmo, 50 anos! Vou te contar, não é qualquer série que consegue atingir essa marca.

Doctor Who mostra as aventuras do Doutor (o personagem mais legal do universo. De todos eles!), um alien de aparência humana, o último de sua espécie, os “Time Lords” (Senhores do Tempo), que viaja no tempo e no espaço a bordo da TARDIS, sua nave espacial que por fora é uma cabine policial azul de madeira dos anos 60, mas por dentro ela é gigante. Aliás é impossível não querer “ir ali” a bordo da TARDIS.

DW parece ser uma maluquice e de fato é. De início as histórias de cada episódio parecem independentes, mas quando vai chegando a season finale tudo se junta. E acredite, no final tudo faz sentido. A série não leva nada a sério, eles fazem piadas com tudo. Mas com tudo MESMO. Nem a família real escapa das gozações. O Doctor adora fazer umas viagens para as épocas de acontecimentos históricos, como a destruição da Pompéia e a Segunda Guerra Mundial; e nesse meio ele sempre se encontra com personagens que marcaram a história como, por exemplo, Shakespeare, Agatha Christie, Vincent Van Gogh, Rainha Victória e vários outros.

Vou confessar que quando pensei em falar sobre Doctor Who eu achei que seria mais fácil, mas acontece que é muito difícil falar dela sem parecer uma maluca que está divagando sobre coisas aleatórias. Aliás, isso é uma característica do Doctor, algumas vezes ele começa a viajar nas ideias e se você não prestar muita atenção ao que ele está falando você fica completamente perdido. Mas de novo, tudo faz sentido.

O que ajuda a série ser tão boa, com certeza são os atores que fazem o Doctor. Sim, atores. Uma das mitologias da série é a forma como o Doctor “escapa” da morte. Ele se regenera, mudando todas as células do seu corpo e assim se tornando uma nova pessoa. Quando isso acontece, dá muita raiva e vontade de odiar o próximo ator que fará ele. Mas a raiva passa bem rápido, digo isso por experiência própria. Eu assisti três temporadas odiando o ator que entraria na quinta temporada, mas depois dos primeiros 5 minutos eu já estava amando ele.

The-Eleven-Doctors-doctor-who-18277364-1280-800.jpg

Ok, aqui eu acho que a sua cabeça já está bem confusa. Então vou começar a explicar essa história de 50 anos, troca de atores e tudo mais. SIM, DW esse ano completa 50 anos. A série foi ao ar pela primeira vez em 23 de novembro de 1963, ou seja, nós temos 33 temporadas no total. Mas antes que vocês comecem a me xingar por estar indicando uma série com tantos episódios, CALMA! São 26 temporadas clássicas e 7 temporadas atuais. Eu nunca assisti nenhum episódio da série clássica e isso definitivamente não atrapalha no entendimento. E para comemorar essa marca, no dia 23 de novembro, a BBC vai exibir um especial.

Como vocês podem ver, Doctor Who é uma série bem antiga e não teria como o mesmo ator ficar na pele do Doutor por tanto tempo. A série passou um tempo sem ser exibida na TV, ela voltou em 2005 com o 9º Doctor da história, que era interpretado pelo Christopher Eccleston, ele ficou apenas por uma temporada e no ano seguinte, em 2006, após uma regeneração do Doctor, David Tennant ocupou o posto como o 10º Time Lord. Após três temporadas maravilhosas, Tennant se despediu e Matt Smith (o moço da foto lá em cima) surgiu para que a gente pudesse amar ele também. Como eu disse ali em cima, eu assisti todas as temporadas do 10º Doctor odiando o Matt, mas depois de 5 minutos assistindo a quinta temporada eu já amava ele e achava ele perfeito no papel. No vídeo ali em cima é o Matt Smith com o David Tennant no behind the scenes do especial de 50 anos.

Gente, eu poderia passar a minha vida falando sobre Doctor Who, mas eu acho que já falei demais e olha que eu nem falei de tudo que eu queria. Muita gente já deve até desistido de assistir a série. Devem estar achando que isso tudo não passa de um sonho muito estranho meu, mas DW é uma série eu indico pra todo mundo sem me preocupar, porque sei que ela é excelente e vai além de tudo que eu escrevi aqui, ela é bem melhor, acreditem. Só uma viagem na TARDIS para fazer você entenderem bem toda essa maluquice.

Espero que gostem da indicação. Semana que vem tem mais.

Beijos.

Invasão Britânica – Parte 1

Olá gente linda, como vocês estão? Olha, minha semana tem sido maravilhosa, não tenho do que reclamar, depois de um domingo de cão, a segunda-feira começou já surpreendendo. Enfim, não vim aqui pra falar da minha semana pra vocês, mas quis compartilhar porque eu to bem feliz com tudo que aconteceu, na verdade eu nem to acreditando.

Essa semana e na próxima eu vou falar de duas séries pra vocês. O que? Eu ouvi cantos de aleluia ao fundo? Pois é, demorou mais chegou esse dia. Todas comemoram. Ou não. Confesso que estava louca para escrever sobre séries. Mas eu precisava da época certa e de terminar uma delas. Como o nome do post já diz, as duas séries são britânicas. A dessa semana é uma paixão antiga e a de semana que vem se tornou um amor MESMO há uns dois meses. Então vamos lá.

Skins (2007 – 2013)

Skins Group Shot

Aqui no Brasil algumas pessoas podem conhecer a série como Juventude à Flor da Pele, mas eu me recuso a chamar assim, apenas porque acho ridículo demais. Skins é uma série que conta a história de um grupo de adolescentes de Bristol (Sudeste da Inglaterra) nos dois últimos anos do ensino médio. Pra algumas pessoas essa fase da vida não é das melhores e para esses adolescentes também não. As histórias de todos eles passam por várias questões polêmicas como abuso de drogas, sexualidade, transtornos alimentares e mentais, problemas familiares e morte.

Quando falam que a série é sobre um grupo de adolescentes todo mundo já pensa que a série é uma Malhação que se passa fora do Brasil. Por favor, não pensem isso de Skins. As vidas dos tais adolescentes é tão intensa que você se envolve na história, e eu diria também que tudo que acontece é bem mais extremo e pesado do que acontece na novela da Globo.

Skins é um drama adolescente que não se preocupa em ter um final feliz, acho que posso contar nos dedos às vezes que isso aconteceu. Já vi muita gente falar que a série é só sobre sexo e drogas. Sim, isso acontece e muito, mas se você tirar todas essas cenas em que esses dois elementos aparecem você vai conseguir enxergar a profundidade da história de cada personagem. Li em uma matéria sobre a série uma coisa que define bem, Skins é uma série que ensina como é ser adolescente. É aquela montanha-russa emocional que todo jovem passa.

Atualmente são seis temporadas finalizadas. Mas você consegue assistir em um dia se quiser, porque cada temporada tem cerca de oito episódios, um para cada personagem. Personagens, aliás, que são trocados a cada dois anos. Sim, trocados. A cada duas temporadas nós somos apresentados a uma nova geração. Segundo os produtores, é o necessário para conhecê-los e acompanhar a adolescências deles. Particularmente, a primeira e a segunda gerações são as melhores pra mim. Tanto no quesito elenco como na história. A terceira geração, ou seja, a 5ª e a 6ª temporadas são muito boas também, apenas não consegui me conectar aos personagens, como fiz nas gerações anteriores. Aliás, o vídeo ali em cima é com as personagens da 1ª geração da série. O próximo vídeo é o trailer da terceira temporada.

Olha, se você tá cansado dessas séries teens que mostram sempre a mesma coisa, aquela melodrama com final fofinho, você definitivamente tem que assistir Skins. Segunda-feira (01/07) estreia a sétima e última temporada. Para esse final a série trouxe três personagens da primeira e da segunda gerações, Cook (Jack O’Connell) da 2ª geração; Cassie (Hannah Murray)  da 1ª geração; e Effy (Kaya Scodelario)  da 1ª e da 2ª geração . Vão ser seis episódios especiais, dois para cada um.

Semana que vem tem mais. Eu volto com a “Invasão Britânica – Parte 2”, onde nós vamos viajar no tempo e no espaço dentro de uma caixa de madeira azul. Espero que todos estejam preparados e tragam roupas para todas as ocasiões, não sei bem onde iremos parar.

Beijos.

Era uma vez… diferente!

Contos de fadas não são mais os mesmos, não mesmo! O tempo passa e nossos princípios vão mudando, o mundo muda e as tradições ficam ultrapassadas. Ninguém quer mais ser apenas a princesa que espera ser resgatada por um príncipe em um cavalo branco. As mulheres tem vida própria, vontades e batalham por si mesmas. A nossa visão dos contos de fadas mudou assim como nós evoluímos. As séries de TV acompanharam essa mudança.

 

Once Upon a Time é a série que tem ligação direta com diversas historinhas e as modernizou. Os personagens que você já conhece vivem em Storybroke e levam uma vida normal, como a de qualquer um. Trabalham, namoram, estudam, porém, eles vivem assim porque estão sob o feitiço da Rainha Má, Regina, e nem se lembram de quem são. Uma ótima forma de ver como seria a vida real de algumas princesas.

Grimm é uma série policial, mas inspirada nos Irmãos Grimm, os famosos autores dos contos de fadas conhecidos. Nesta série, Nick é um detetive que descobre ser descendente dos Grimm, porém, eles eram caçadores de elite que protegiam o mundo de criaturas sobrenaturais e seus contos eram um alerta dos perigos. Assim Nick, com seu conhecimento, se torna um caçador dos personagens.

Beauty and the Beast trata somente do conto “A Bela e a Fera”, mas bem moderninho. Catherine é uma policial, que viu sua mãe ser assassinada quando era adolescente, ela quase foi morta também, porém, foi salva por uma estranha criatura. Dez anos depois descobre que seu salvador é um médico militar que foi dado como morto. Vincent se escondeu da sociedade pois se transforma em um monstro quando sente raiva, e não consegue controlar seus instintos. Eles se aproximam e surge uma relação complicada.

Os contos de fadas estão bem diferentes, sorte de quem pode agora ver a realidade e não uma fantasia. Uma boa história de amor sempre deve ser contada, porém, devemos sempre ter os pés no chão e viver no presente.

Beijos e um ótimo fim de semana!