Gente, o que está acontecendo com a plataforma Netflix? Novidades sempre tem por lá, mas o problema é que os últimos filmes lançados não foram nada agradáveis, inclusive vou mencioná-los abaixo pra ver se sou eu que estou exigente demais ou vocês concordam comigo. Tenho gostado bastante das séries e documentários, e ultimamente estou dando preferência à eles. 😀

1) Alias Grace

Recomendei algumas semanas atrás a série The Handmaid’s Tale (não tem no Netflix) mais a Alias Grace é série da mesma autora e eu acho que você precisa assistir! A história é de Grace Marks (Sarah Gadon) uma jovem irlandesa de classe média baixa, que decide tentar a vida no Canadá. Contratada para trabalhar como empregada doméstica na casa de Thomas Kinnear (Paul Gross), ela é condenada à prisão perpétua pelo assassinato brutal do seu patrão e da governanta da casa Nancy Montgomery (Anna Paquin). Passados 16 anos desde o encarceramento da imigrante, o Dr. Simon Jordan (Edward Holdcroft) se apaixona por Grace e tenta descobrir a verdade sobre o caso.

2) Ratter

Gosto dos trabalhos da Ashley Benson mais este filme é decepcionante. Atuação ruim e aquele enredo cansativo que vemos em filmes de perseguição, nesta história a perseguição é virtual. Emma (Ashley Benson) é uma universitária que vive sozinha em Nova Iorque. Ela é alvo de um perseguidor, um hacker (Dylan Chalfy) que invade todos os seus dispositivos tecnológicos em posse de Emma, transformando em janelas diretas para os momentos íntimos e pessoais dela. O Hacker fica tão obcecado pela vida de Emma que acaba indo atrás dela.

3) Os Meyerowitz: Família não se escolhe

O filme não é o melhor de todos, mas é um entretenimento divertido para passar o tempo. A história gira em torno de Harold Meyerowitz (Dustin Hoffman) que é o patriarca da família, casaco com Maureen (Emma Thompson) e pai de Matthew (Ben Stiller), Danny (Adam Sandler) e Jean (Elizabeth Marvel). Escultor aposentado e extremamente vaidoso, ele fica satisfeito ao saber que está sendo organizado uma exposição para celebrar seu trabalho artístico. Só que, em meio aos preparativos, Harold adoece e faz com que todos os filhos precisem se unir para ajudá-lo a se recuperar, o que acaba trazendo à tona várias situações do passado.

Já assistiram? Aceito recomendações, hahaha! 😉

Faz muito tempo que não falo sobre séries e filmes por aqui, infelizmente nada tem me empolgado a ponto de compartilhar com vocês 🙁 . Pra vocês terem uma ideia o documentário da Lady Gaga no Netflix foi o que eu mais gostei de assistir nos últimos meses, quem ainda não assistiu, eu recomendo. A cantora conta a história de sua carreira e os problemas por trás dos holofotes.

A dica de hoje é uma série The Handmaid’s Tale, já ouviram falar? Muitas pessoas amaram outras não conseguiram terminar, até porque é uma história impactante e forte, ganhou prêmios este ano. É uma série inteligente e ao mesmo tempo revoltante, baseada no livro da canadense Margaret Atwood, que recebe o nome de O Conto de Aia, o livro propõe construir esse diferente e repressivo futuro, que pode muito bem estar conectado com o presente.

The Handmaid’s Tale, narra a história de uma sociedade futurística dividida em castas, em que muitas mulheres não podem mais se tornar mães. Para que haja procriação dos mais ricos, existe a classe das Concubinas, serventes que devem entregar seus corpos para a proliferação dos comandantes, estabelecendo uma sociedade com uma clara divisão de direitos entre as classes, mas também entre o masculino e o feminino.

A série acaba focando na história de Offered (Elisabeth Moss), sendo uma concubina. O episódio piloto concentra-se em dar um panorama da vida passada da protagonista e do que ela deverá encontrar nesta nova sociedade reformada. A série explora temas que tocam a sociedade atual, como a representação das mulheres, o feminino a ascendência social e objetificação dos corpos e suas classes. É uma das melhores séries da atualidade que já assisti, recomendo bastante. 😉

Confira o trailer:

Já assistiram? Gostam de série neste estilo?