Livros sobre a vida

Uma das coisas boas do colégio era poder ler os livros indicados pelos professores. Tá, nem todo mundo gosta muito de ler, mas eu particularmente adorava e lia sempre que pediam – o ruim era ter que fazer testes e resenhas depois. Na época do colégio tive a oportunidade de ler diversos autores nacionais e conhecer histórias incríveis, prova de que brasileiro sabe sim escrever e tem talento. Dois livros autobiográficos que ficaram marcados no meu período escolar carregam muitas lições de vida.

– Depois Daquela Viagem

Quem nunca leu esse livro está perdendo tempo. Simplesmente um dos melhores que já li. Valéria Piassa Polizzi conta de forma simples e descontraída sua trajetória de vida, que poderia ser bem triste e trágica, mas ela resolveu fazer o que melhor que podia com o tempo que restava, mesmo sem acreditar que viveria muito. Aos 15 anos ela conheceu um homem durante uma viagem com sua família. Ele era 10 anos mais velho que ela e quando começaram a namorar era uma pessoa carinhosa, porém, se tornou agressivo e a convenceu a ter relações sexuais sem proteção. Depois de suportar todo tipo de agressão e abuso Valéria consegue terminar o relacionamento, mas descobre que contraiu o vírus HIV. Essa nova realidade transforma sua vida, em uma época onde a AIDS era pouco conhecida e havia muito preconceito, ela passa por diversas situações de vergonha, medo e indecisão. O que a faz viajar para os EUA, conhecer outros lugares e pessoas, tentar uma vida normal e receber o carinho e apoio da família. Eu li umas três vezes e super recomendo!

– Esmeralda – por que não dancei?

Uma história de vida que se repete em cada esquina, porém, com um final feliz. Esmeralda do Carmo Ortiz é como qualquer garota que tem uma família desestruturada, com dois irmãos de pais diferentes, e nenhuma condição financeira. Cansada de sofrer agressões dentro de casa e de ter sido abusada pelo padastro ela resolve fugir e morar nas ruas, mas encontra uma realidade pior. Se envolve com drogas, sofre mais abusos, mais agressões, começa a roubar para sustentar o vício. O que a diferencia dos demais moradores de rua é que Esmeralda queria algo mais para sua vida. Passou pela Febem diversas vezes e sempre voltava para as ruas, mas tinha consciência do mundo ao seu redor. Através dos centros de recuperação ela buscou a solução para sua vida e com o tempo e dedicação ela conseguiu sair das ruas e recuperar sua dignidade. Um livro tocante, realista e emocionante, onde nos deparamos com um mundo cruel e injusto,  mas serve de lição e apoio para todos aqueles que não desistem facilmente.

Uma história verídica sempre deixa muitas lembranças e nos modifica um pouquinho. Vocês já leram algum desses ou tem vontade de ler? Recomendo os dois!

Beijos e um ótimo fim de semana!

Romance policial, vamos ler?

Desde que li meu primeiro romance policial, nunca mais parei. Li alguns escritores famosos da gringa, mais não teve nenhum igual ao Luiz Alfredo Garcia Roza, sim minha gente ele é um escritor brasileiro que estreou na literatura de ficção em 1996. Sua primeira obra de sucesso foi O silêncio da chuva que foi o primeiro livro que li dele, no qual gostei bastante.

Geralmente, suas histórias se passam no Rio de Janeiro, entre os bairros de Copacabana e Peixoto. Neste último, reside o delegado e o principal personagem da história Espinosa, e em Copacabana, se encontra a delegacia. Os crimes acontecem misteriosamente, no qual envolvem perseguições e romance inclusive com o delegado Espinosa. A leitura acontece em um ritmo bem viciante, pois a cada capítulo vão se revelando mais fatos e daí Espinosa vai montando um quebra-cabeça até descobrir o verdadeiro culpado de tudo.

Além do livro O silêncio da chuva narra uma história inteligente sobre Espinosa e assassinatos, a trama consegue trazer o mistério e o fascínio para o leitor ficar ainda mais ansioso para ler os próximos capítulos do livro. Eu li também Achados e Perdidos que conta a história de um delegado que se apaixona por uma prostituta que também conhece e se relaciona com Espinosa, entre muitos outros fatos que acontecem durante a história. O autor consegue atrair nossa atenção a todo momento. Em Vento Sudoeste Espinosa sai para encontrar com o homem que fez um estranho pedido, que era investigar um assassinato que ainda não tinha sido cometido e cujo assassino seria ele próprio. O mais estranho é que: o homem ignorava o motivo do crime, de como seria cometido e quem seria a vítima.

Os 3 são maravilhosos, mais Achados e Perdidos é o meu favorito dele. O autor conta com mais 7 livros que ainda quero muito ler. E vocês, já leram? Conheciam?

Beijokas e bom fim de semana!

Os Nacionais #4

Aí vai mais uma dica de dois autores brasileiríssimos para você acompanhar também:

Larissa Siriani

Ela é jovem, paulistana, tem apenas 20 anos e muitos livros publicados. O desejo de escrever surgiu quando ainda era criança, nessa época começou com pequenos contos e historinhas que evoluíram para livros maiores e histórias mais completas. O tempo fez com que a literatura se fixasse em sua vida, aumentando o sonho de escrever livros. Larissa cursa faculdade de cinema e tem 4 livros publicados. Vermelho Sangue é o seu livro de estreia e conta a história de Beni, uma garota que tinha uma vida normal, mas uma fatalidade mudou tudo. Ela descobriu que havia monstros no mundo e decidiu que iria caçá-los e exterminar todos os vampiros do mundo, ou, pelo menos, morreria tentando. Até que um misterioso garoto aparece em sua vida para mudar tudo novamente. Larissa já deu uma entrevista para o blog, veja aqui.

Obras: Vermelho Sangue (2009); Toda Garota Quer (2009); Ardente Perigo (2010); As Bruxas de Oxford (2011).

– Marcelo Rubens Paiva

Ele é bem conhecido, alguns de seus livros se tornaram peças teatrais e filmes. Marcelo nasceu em São Paulo, seu pai foi vítima do Golpe de Estado de 1964, sendo torturado e morto. Estudou engenharia agrícola, porém, aos vinte anos de idade ficou tetraplégico, fraturou a coluna ao pular em um lago.  O que marca o escritor é sua história de vida, com esses traumas que resultaram em seu primeiro livro, Feliz Ano Velho. Formou-se em Comunicação e em Teria Literária. Estudou Dramaturgia, foi apresentador da Tv Cultura, é colunista de um grande jornal, monta e dirige peças teatrais. Enfim, um homem totalmente ligado à cultura do nosso país. Seu primeiro livro, Feliz Ano Velho, é autobiográfico, onde Marcelo conta sobre o acidente no lago e como ficou sua vida após esse dia, relembrando seu passado, infância e juventude, e mostrando a dificuldade de se readaptar a sociedade, com humor e sinceridade.

Obras: Feliz Ano Velho (1981); Blecaute (1986); Ua:brari (1990); As Fêmeas (1992); Bala na Agulha (1994); Não És Tu, Brasil (1996); Malu de Bicicleta (2004); O Homem Que Conhecia as Mulheres (2006); A Segunda Vez Que Te Conheci (2008).

Boa leitura garotas e um ótimo fim de semana!
Sugestões são sempre bem vindas!

Os Nacionais #3

Olá garotas, hoje vou falar de mais dois escritores nacionais, estes são até bem conhecidos.

Martha Medeiros

Sua carreira é bem longa, bem antes do seu grande sucesso “Divã”. Martha nasceu em Alagoas, é casada, tem duas filhas e morou nove meses no Chile. Durante a estadia nesse país começou a escreveu poesias, ao voltar para o Brasil passou a escrever crônicas para um jornal de Porto Alegre, assim iniciou sua carreira literária. Martha tem vários livros publicados. Livros de poesia, de crônicas, infantil, romance e até um guia de viagem. “Divã” foi o livro que a apresentou para todo o país, tornou-se peça de teatro e série de TV. O livro fala de Mercedes, uma mulher de 40 anos, casada e com filhos, que decide fazer análise, sem esperar muito disso, mas acaba descobrindo muito sobre si mesma. Martha nos mostra o lado superfeminino de Mercedes, o lado que existe em cada mulher.

Obras: Strip-Tease (1985); Meia Noite e um Quarto (1987); Persona Non Grata (1991); De Cara Lavada (1995); A Terra Gasta (1996); Poesia Reunida (1998); Geração Bivolt (1995); Topless (1997); Santiago do Chile (1996); Trem-Bala (1999); Non Stop (2000); Cartas Extraviadas e Outros Poemas (2000); De Café e Cogumelos (2001); Divã (2002); Montanha-Russa (2003); Coisas da Vida (2005); Esquisita como Eu (2004); Selma e Sinatra (2005); Tudo que Eu Queria te Dizer (2007); Doidas e Santas (2008); Fora de Mim (2010); Feliz por Nada (2011).

Caio Fernando de Abreu

Muito famoso nas redes sociais pelas suas frases e citações incríveis. Caio nasceu no Rio Grande do Sul, cursou Letras e Arte Dramática, mas os abandonou para se dedicar ao jornalismo. Foi perseguido pela ditadura militar, e viveu exilado em alguns países europeus. Como jornalista trabalhou em diversas revistas de entretenimento e colaborou em diversos jornais brasileiros. Caio revelou ser portado do vírus HIV em sua coluna semanal no jornal O Estado de São Paulo, em 1994. Dois anos depois, no dia 25 de fevereiro de 1996, morreu em Porto Alegre. Alguns de seus contos foram traduzidos em outras línguas.  Suas obras revelam muito de seu ponto vista do mundo, fala sobre o medo, sobre a morte, sobre amor e solidão. Um escritor muito pessoal e profundo, que conseguiu traduzir os dramas da vida. Por isso é lembrado pelos fãs que cativou.

Obras: Inventário do Irremediável (1970); Limite Branco (1971); O Ovo Apunhalado (1975); Pedras de Calcutá (1977); Morangos Mofados (1982); Triângulo das Águas (1983); A Maldição do Vale Negro (1986); As Frangas (1988); Os Dragões não Conhecem o Paraíso (1988); Mel & Girassóis (1988); Onde Andará Dulce Veiga? (1990); Bien Loin de Marienbad (1994); Ovelhas Negras (1995); Estranhos Estrangeiros (1996); Teatro Completo (1997); Pequenas Epifanias (1996).

Beijos e um ótimo fim de semana!

Os Nacionais #1

Ao falar de livros e best-sellers nos vem à mente obras estrangeiras, já que o mundo se interessa mais por escritos norte-americanos ou de língua inglesa. Quando lemos apenas os livros mais vendidos, ou mais famosos, muitas vezes ignoramos nossos autores, os escritores brasileiros que não alcançaram o sucesso mundial por falta de interesse em nossa literatura atual. Por isso resolvi escrever, em algumas sextas-feiras, sobre os nossos autores e mostrar um pouco das obras deles.

André Vianco

Nascido em São Paulo, sua primeira obra foi “O Senhor da Chuva”, (1998). Depois desse livro ele se aprimorou em escrever sobre temas sobrenaturais, sendo que a maioria envolve vampiros. Mistura terror, suspense, fantasia e romance, é conhecido entre os fãs do gênero. Sua obra mais famosa, e mais vendida, é “Os Sete”. A história se passa em Porto Alegre, onde mergulhadores encontram uma grande caixa de prata dentro de uma caravela naufragada. Pesquisadores decidem abrir essa caixa e encontram sete cadáveres, que foram acusados de bruxaria. Quando o primeiro deles acorda, começa o caos. Vianco participou de programas de televisão – Programa do Jô, Superpop – e já foi matéria em revistas conceituadas.

Obras: O Senhor da Chuva (1998), Os Sete (1999), Sétimo (2002), Sementes no Gelo (2002), A Casa (2002), Bento (2003), O Vampiro-Rei vol. 1 (2004), O Vampiro-Rei vol. 2 (2005), O Turno Da Noite, Os Filhos De Sétimo Vol.1 (2006), O Turno Da Noite, Revelações Vol.2 (2006), Vampiros do Rio Douro Vol. 1 (2007), Vampiros do Rio Douro Vol. 2 (2007), O Caminho do Poço das Lágrimas (2008), O Caso Laura (2011).

Paula Pimenta

Ela já deu uma entrevista para o blog e foi super simpática (veja aqui). Nascida em Belo Horizonte, é formada em publicidade. Além de escritora, é compositora e dá aulas de música. Sua primeira obra lançada foi o livro de poemas “Confissão” (2001), mas ficou conhecida em 2008 ao lançar “Fazendo meu filme”, para o público juvenil. O livro é sobre uma menina de 16 anos, Fani, com uma vida normal de adolescente, cheia de sonhos, amigos e um garoto pelo qual é apaixonada.  Porém, ela recebe a oportunidade de fazer intercâmbio fora do país e sua vida muda completamente. Paula já deu entrevistas em sites, jornais e rádios.

Obras: Confissão (2001), Fazendo Meu Filme 1 (2008), Fazendo Meu Filme 2 (2009), Fazendo Meu Filme 3 (2010), Fazendo Meu Filme 4 (2011), Minha Vida Fora de Série (2011), Apaixonada Por Palavras (ainda será lançado).

Vale muito a pena apreciar os nossos escritores e incentivar o surgimento de novos autores que pretendem entrar nesse universo de histórias e palavras!

Se tiverem dicas ou sugestões de escritores é só deixar nos comentários!

Beijos e um ótimo fim de semana para todas!

Livros para refletir

 

Há livros que contam histórias tão interessantes que acabam conquistando leitores por todo o mundo. São os famosos best-sellers, que ocupam as estantes de várias casas. Entre os grandes sucessos encontramos histórias que fogem do tradicional, principalmente na literatura estrangeira, sem ser  a norte-americana. Dois livros que li nesse primeiro semestre e me agradaram bastante foram A Menina Que Roubava Livros e O Caçador de Pipas.

A Menina Que Roubava Livros

Difícil encontrar alguém que não tenha lido, ou que não tenha vontade de ler, ou que nunca ouviu falar dele. Uma história contada pela Morte com certeza atrai muitos curiosos e o autor Markus Zusak conseguiu escrever a realidade cruel dos alemães e judeus na Segunda Guerra Mundial através da vida de uma garotinha. A história é narrada pela Morte, que conta sobre a vida de Liesel Meminger, uma garota alemã que encontra nos livros um refúgio para suportar o seu sofrimento e as dificuldades. Adorei a forma como a história foi contada e mostrou como a violência destrói a vida de todos os envolvidos, principalmente dos inocentes. É bem realista, comovente e viciante. Foge dos padrões e tem uma forma própria de narração, que nos deixa curiosos e ansiosos.

O Caçador de Pipas

Hoje ouvimos falar bastante do Afeganistão, mas poucos sabem que esse país já viveu dias de paz. O personagem principal, Amir, conta sobre sua infância abastada e sobre seu melhor amigo Hassan. Porém, não é uma história muito feliz. Por causa de um erro, Amir carrega uma culpa até a vida adulta enquanto passa por várias transformações decorrentes da guerra que se abateu sobre seu país. Seu erro também afeta a vida de quem está a sua volta. O autor Khaled Hosseini narrou essa história de forma crua. Mostra as consequências de nossas escolhas e o que devemos dar importância. Ele trata dos assuntos que muitas vezes tentamos não enxergar por serem difíceis de aceitar e também fala sobre honra, perdão e redenção. O livro é ótimo e a leitura é fácil e muito emociante.

O que me chamou muita atenção nesses dois livros foi a realidade que eu não pensava muito sobre. A fome, a miséria, a guerra, a violência. Quando temos uma vida boa reclamamos de coisas tão insignificantes e nos esquecemos de agradecer por todas as coisas boas que possuímos. E essa é a melhor função dos livros: abrir nossas mentes, nos fazer pensar além. Por isso que ler é fundamental e faz um bem danado!

Quem já leu algum desses? O que acharam?
Beijos e um ótimo fim de semana!