Por: Larissa Siriani

Deus sabe quando, em algum momento mágico da história, o homem decidiu que o dinheiro não seria a forma mais segura de se realizar pagamentos. E, após a criação dos bancos, das contas correntes, veio uma plaqueta de plástico com dados digitalizados numa faixa magnética que mudaria pra sempre a nossa vida. Essa coisinha evoluiu, e se transformou nele, no CARTÃO DE CRÉDITO! – nosso melhor amigo e nosso pior e mais asqueroso e baixo inimigo.

Porque, enquanto facilita a nossa vida, o cartão de crédito tem mesmo esse dom de nos colocar nas maiores ciladas; principalmente quando a gente não tem controle sobre o que está fazendo com ele. Quem tem cartão de crédito – próprio não o da mãe ou do pai – já deve ter experienciado pelo menos uma vez a sensação de ‘putz, gastei mais do que devia’, que a nossa amiga Becky Bloom tanto conhece. E se você não quer acabar toda endividada como a Becky, é melhor ficar ligada: o cartão de crédito requer todos os tipos de cuidado!

Não Passe o Cartão Pra Qualquer Coisa

Se você é do tipo que nunca tem dinheiro em mãos e passa o cartão de crédito pra pagar aquele cafézinho de R$2,00 na padaria, cuidado! De pouco em pouco, a sua conta pode sim explodir. Isso porque quando somamos valores pequenos, fica mais fácil perder o controle. Então tenha em mãos uma quantia razoável pra não ficar precisando passar tudo no cartão. Na falta de opção, prefira o débito automático.

Cuidado Com as Parcelas

Não se engane pela linda praticidade de pagar uma bolsa em 30 vezes. Essa história de parcelar é perigosa quando a gente não sabe usar. Em primeiro lugar, pois, se a gente não faz um bom cálculo de juros, pode acabar comprando o mesmo produto pelo dobro do preço. E em segundo, porque juntando parcelas de 30 produtos diferentes, seu cartão vai sim explodir bem na sua cara.

Então, se puder evitar, não faça mais de uma compra parcelada. Ou seja: se esse mês você parcelou aquela bota linda em 3x no cartão, espere até a última parcela pra comprar aquela calça caríssima que você só pode bancar se dividir em 4x. Desse jeito, sobra uma folga no seu cartão pra outras emergências.

Não Se Engane Com Cartões de Lojas

Particularmente, a maior roubada que existe pra mim é essa história de ‘Cartão da Loja Tal’. Pode reparar que quem tem um, tem mil: você começa com um da Marisa e acaba com um da Marisa, um da Pernambucanas, um da Besni, um da Renner…

E o pior de tudo é que, por mais que você não tenha que pagar na hora, uma hora a fatura vai chegar e você vai ter que pagar. O que nunca passa pela cabeça de ninguém na hora de encher a sacola, gastar 500 reais em roupas e parcelar em quantas vezes for possível. Mas fique atenta: quando a fatura chega é que a gente se arrepende. CORRA desses cartões. Passe tudo no seu próprio, que é muito mais fácil de controlar.

Saiba o Quanto Pode Gastar

Antes de qualquer coisa MESMO a gente tem que saber quanto pode gastar. Porque o grande problema do cartão de crédito é que ele não cai na hora, cai depois. E a gente esquece desse detalhe quase toda vez. Então, matemática básica pra vocês.

Suponhamos que você receba seu salário/mesada dia 10. O valor é de R$300. Dia 15 cai o valor do seu cartão de crédito. O total gasto no mês anterior é de R$200. Quanto sobra pra você passar o resto do mês?

Pensem nisso! Vocês podem sentir muito mais falta desses 200 do que sentiriam dos itens comprados! Ficadica!

É isso, meninas, espero que tenham gostado!

Sem desespero 😛

Beijoquinhas e segue a gente @Diadebrilho