Os Livros que eu quero reler

Este ano renovei minha lista de leituras e adicionei livros que já li e estou morrendo de vontade de reler outra vez. Sabe aqueles livros inesquecíveis que lembramos de cada parte da história? É desses que eu estou falando. Aproveitando isso,  selecionei alguns livros que me marcaram e resolvi compartilhar com vocês.  O bom é que vocês aumentem a listinha de leituras de vocês 😛 e eu não fico sozinha nessa hahaha!

large

Prepara o papel e caneta pra anotar as leituras, tem pra todos os gostos. Espero que alguma agrade você 😉

O Caçador de Pipas – Khaled Hosseini 

Uma história encantadora, verdadeira e emocionante, principalmente a amizade de Amir e Hassan dois personagens especiais do livro. A história gira em torno da amizade de Amir e Hassan, dois meninos quase da mesma idade, que vivem vidas muito diferentes no Afeganistão da década de 1970. Amir é rico e bem-nascido, um pouco covarde, e sempre em busca da aprovação de seu próprio pai. Hassan, que não sabe ler nem escrever, é conhecido por coragem e bondade. Os dois, no entanto, são loucos por histórias antigas de grandes guerreiros, filmes de caubói americanos e pipas. E é justamente durante um campeonato de pipas, no inverno de 1975, que Hassan dá a Amir a chance de ser um grande homem, mas ele não enxerga sua redenção.

O Futuro da Humanidade – Augusto Cury

Foi o primeiro livro de auto-ajuda que li e amei. Me ajudou nos momentos em que eu estava precisando acreditar mais em mim. Ao entrar na faculdade cheio de sonhos e expectativas, Marco Polo se vê diante de uma realidade dura e fria: a falta de respeito e sensibilidade dos professores em relação aos pacientes com transtornos psíquicos, que são marginalizados e tratados como se não tivessem identidade. Indignado, o jovem desafia profissionais de renome internacional para provar que os pacientes com problemas psiquiátricos merecem mais atenção, respeito e dedicação – e menos remédios. Acreditando na força do diálogo e da psicologia, ele acaba causando uma verdadeira revolução nas mentes e nos corações das pessoas com quem convive.

livrosleitura

Nada Dura para Sempre – Sidney Sheldon

Adoro romances policiais! Este livro foi o primeiro que li do Sidney e depois não parei mais. Ele conta a história de Kat Hunter, Betty Taft (Honey) e Paige Taylor são as únicas mulheres em um grupo de médicos residentes de um hospital de São Francisco. Além de trabalharem juntas, elas dividem o mesmo apartamento e protagonizam situações, no mínimo, insólitas: a primeira, por pouco não provoca a interdição do hospital; a segunda mata um doente em troca de 1 milhão de dólares; e a terceira é assassinada.

O Diário de Anne Frank – Anne Frank

Lembra muito a história do livro A Menina que Roubava Livros. Porém,  em forma de diário e com muitos detalhes, informações e claro histórias da época da Segunda Guerra Mundial que Anne Frank passou ao lado de seus familiares, acho que poderia ter filme também hein?!  No ano de 1942 a 1944. Ao longo deste período, a jovem Anne Frank escreveu em seu diário toda a tensão que a família Frank sofreu durante a Segunda Guerra Mundial. Ao fim de muitos dias de silêncio e medo aterrorizante, eles foram descobertos pelos nazistas e deportados para campos de concentração. Anne inicialmente seguiu para Auschwitz e mais tarde para Bergen-Belsen.

O Livreiro de Cabul – Åsne Seierstad 

Gosto muito de histórias que envolvem o Afeganistão, momentos de terror e dificuldades que as pessoas passam mais que dão a reviravolta por cima de todos esses problemas, esta leitura é incrível! Por ter vivido três meses com uma família afegã, na primavera de 2002, logo após a queda do regime talibã, a jornalista norueguesa Asne Seierstad pôde produzir esta narrativa ímpar que mostra aspectos do país que poucos estrangeiros testemunhariam. Como ocidental, mulher e hóspede de Sultan Khan, um livreiro de Cabul, obteve o privilégio de transitar entre o universo feminino e masculino de uma sociedade islâmica fundamentalista. Preso e torturado durante o regime comunista, Sultan Khan teve sua livraria invadida e parte dos livros queimados, mas alimentava o sonho de ver seu acervo de 10 mil volumes sobre história e literatura afegã transformar-se no núcleo de uma nova Biblioteca Nacional.

E aí, vocês já leram algum desses livros? Qual livro gostariam de reler este ano? (Não precisa estar no post) 😀

Eu li: Apaixonada por Palavras

Mais um livro finalizado com sucesso e a escolha desta vez foi Apaixonada por Palavras da escritora Paula Pimenta é um livro com 56 crônicas super gostoso de ler. Fazia um tempão que eu desejava ler este livro e quando ganhei de aniversário eu já tinha data certa pra começar a devorá-lo hahah.

Apaixonadaporpalavraslivro

Em Apaixonada por Palavras Paula relata momentos inesquecíveis que viveu até hoje, falou sobre relacionamentos amorosos, perdas, problemas na escola e com a timidez que a cercava o tempo todo, contou também suas experiências de estudar e morar em Londres e por fim sua trajetória de publicar seus livros. Confesso que alguns textos me marcaram bastante. A leitura flui muito rápida e nos faz refletir sobre as coisas da vida. Sei que poucas pessoas não falam mais a diagramação do livro é encantadora, as páginas ganham uma tonalidade rosada bem leve dentro de cada texto. Mas, isso não atrapalha a leitura de forma alguma. Além disso, Paula destaca a frase mais importante de cada crônica do livro com a letra vermelha e finaliza o texto com um coração , super fofo!

Três textos dela me marcaram e deixo um trecho de cada um deles pra vocês espiarem, vem comigo!

Apaixonada por Palavras

Os que mais me impressionam são os que adivinham meu pensamento, mesmo sem me conhecer. É indescritível a sensação de ler um texto e me identificar totalmente com as palavras do escritor. É como se ele tivesse roubado a ideia que eu ainda não havia tido mas que já existia em mim. Emocionante perceber, na medida em que meus olhos vão descendo por sobre o texto, que existe alguém que pensa exatamente como eu.

Minha coisa preferida 

Hoje me pergunto por que os animais vivem tão pouco em comparação com a estimativa de vida humana. E a resposta me veio imediatamente. Quando uma pessoa morre muito jovem, sempre nos falam que ela já havia cumprido  a sua tarefa nesse mundo, que deveria ser tão boa que não precisava passar por sofrimentos por aqui. Imagino então que os animais realmente são seres que cumprem rapidamente a tal tarefa e voltam para algum lugar encantado onde as “pessoas realmente boas” devem viver para sempre.

Amores Mastercard

Gostar de alguém pelo que a pessoa tem é ilusório. Os bens materiais que possuímos podem se perder em um segundo, o cartão de crédito tem data para expirar. Já o que somos, na essência, vai durar por toda vida, não tem prazo de validade. Eu prefiro que meus amores sejam constantes em vez de transitórios. Um carro legal podemos conseguir por nós mesmos. Uma profissão bem-remunerada basta que façamos por onde. Agora, sermos amados pelo que somos , isso dinheiro nenhum pode comprar. E não adianta a Mastercard querer me provar o contrário. 

Chorei litros lendo Minha Coisa Preferida, quem perdeu algum bichinho de estimação vai entender. Pra quem gosta de ler crônicas eu recomendo! Vocês já leram algum livro da Paula Pimenta?