Olá pessoal, como estão? Hoje eu estou meio que correndo então não vou enrolar muito. Semana passada eu assisti a um filme que mostra um pouco do que aconteceu por trás da produção de um dos meus filmes favoritos da Disney, Mary Poppins. O filme em questão é o “Walt nos Bastidores de Mary Poppins”, o nome em português dá a entender que é apenas um documentário mostrando o behind the scenes, acredito que o original, “Saving Mr. Banks”, apresenta melhor a proposta do filme.

SAVING MR. BANKS

Por 20 anos Walt Disney (Tom Hanks) tentou adquirir os direitos de Mary Poppins da escritora australiana P.L. Travers (Emma Thompson), mas a mulher sempre muito difícil se recusou a vendê-los com medo de que Disney transformasse sua história em mais um de seus desenhos bobos. Porém quando se agente a avisa que ela está entrando em uma crise financeira e que o dinheiro oferecido por Walt ajudaria ela decide negociar. Travers então viaja para os Estados Unidos para trabalhar com a equipe escolhida por Disney para produzir o filme.

Nos estúdios da Disney em Burbank, Los Angeles, Travers conhece a equipe composta pelo roteirista Don DaGradi (Bradley Whitford) e os compositores da trilha sonora os Richard e Robert Sherman  (Jason Schwartzman e B. J. Novak respectivamente) e acha que é imprópria a maneira que eles estão tratando sua história. Ao conhecer pessoalmente Walt Disney ela o trata de forma hostil e grosseira, mesmo ele se mostrando totalmente amigável e avisa que só assinará o contrato de concessão dos direitos de Mary Poppins se a produção do filme for do jeito que ela quiser.

SAVING MR. BANKS

O trabalho da escritora com a equipe de criação é difícil, já que ela não gosta de nada que é apresentado e faz algumas exigências que chegam a ser absurdas. O maior problema dela é com a forma que George Banks, o pai da família que Mary Poppins é contradada como babá, é retratado. Mas a gota d’água para ela é quando ela descobre que o filme usaria animações. Ela então devolve o contrato sem assinar para o Walt e volta para a Inglaterra. Disney então descobre que P. L. Travers é o pseudônimo da escritora e que seu verdadeiro nome é Helen Goff e que a preocupação dela com o Mr. Banks é que ele é uma personificação de seu pai e ela não queria decepcioná-lo.

Paralelo à produção do filme é mostrado através de diversos flashbacks à infância de Travers, quando ela ainda era Helen Goff, e de onde surgiu toda a ideia para Mary Poppins. É apresentado como ela era bem próxima ao pai, Travers Goff (Colin Farrell) que era gerente de um banco no interior, mas que foi demitido por conta do seu vício no álcool e que veio a falecer meses depois.

SAVING MR. BANKS

Eu adorei o “Walt nos Bastidores de Mary Poppins” não só porque me fez voltar a minha infância e lembrar a história , mas porque mostra a produção do filme em si . As cenas dos irmãos Sherman criando as músicas quase me fizeram chorar de felicidade e de raiva. Felicidade porque é impossível não sorrir com qualquer música de Mary Poppins e de raiva por saber que até hoje eu não consigo falar “Supercalifragilisticexpialidocious”.

Emma Thompson está impecável no filme. Não sei se o fato de eu gostar muito dela como atriz interfere nisso, mas ser ranzinza tempo todo combinou bastante com ela, não que ela seja assim de fato. E o Tom Hanks como Disney eu quis dar um abraço nele. Ele passou algo tão paternal e era engraçado ver ele tendo que ignorar toda a hostilidade da Travers e continuar sendo amigável com ela para conseguir os direitos do filme.

Alguém já assistiu ao filme no cinema? Conseguem falar “Supercalifragilisticexpialidocious”?

Semana que vem tem mais.

Beijos.

Olá gente linda, como estão? De volta à programação normal na sexta-feira. Semana passada foi feriado e o dia foi todo corrido então não deu pra fazer o post, então para recompensar eu escolhi um filme ótimo pra hoje e eu tenho a palavra chave que vai fazer todo mundo aqui querer assistir: Ryan Gosling. Sim, já podem correr pra baixar.

WAR_ATP_Poster_64x94.indd

Amor a Toda Prova (Crazy, Stupid, Love. 2011) começa quando Cal Weaver (Steve Carell) descobre que Emilly (Julianne Moore), sua esposa, o traiu com David Lindhagen (Kevin Bacon) e decide se divorciar. Ele sai de casa e começa a frequentar um bar todos os dias, sempre reclamando do seu divórcio. Jacob Palmer (Ryan Gosling), um jovem sedutor que consegue a mulher que quiser, é rejeitado por Hannah (Emma Stone) e decide ajudar Cal com o seu problema com as mulheres.

Com a ajuda de Jacob, Cal consegue seduzir diversas mulheres, mesmo pensando em seu divórcio.  Ele se reencontra com Emily em uma reunião de pais na escola de Robbie (Jonah Bobo), o seu filho do meio, e eles se reaproximam. Porém Emily descobre o que Cal tem feito desde que saiu de casa e ela resolve voltar para David.

crazy, stupid, love 2__

Enquanto isso, Hannah – a filha mais velha de Cal – espera que seu namorado de longa data a peça em casamento. Entretanto na noite em que ela achava que isso aconteceria, ele oferece a ela um emprego em seu escritório de advocacia. A moça sai revoltada do restaurante e se encontra com Jacob no bar e o beija. A ideia inicial era uma noite de sexo, mas eles apenas passam a noite toda conversando sobre a vida. Eles iniciam um relacionamento e, consequentemente, Jacob se distancia de Cal.

Ao mesmo tempo, Robbie faz o possível e o impossível para mostra a Jessica (Analeigh Tipton) babá, que está a fim da jovem. O amor não é correspondido, pois a menina nutre uma paixão platônica pelo pai do menino.

crazy, stupid, love 3__

Cal decide reconquistar a esposa e combina com os filhos mais novos uma surpresa para Emily. Eles recriam o mini golf onde o casal teve o seu primeiro encontro. Porém antes de Emily ver toda a surpresa todos os problemas acontecem ao mesmo tempo. Jacob e Hannah chegam à casa dos pais da moça e então Cal se mostra totalmente contra ao relacionamento do casal, pois sabe o que ele faz para conseguir mulheres. O pai de Jessica também aparece, pois achou um envelope com diversas fotos da filha nua endereçadas a Cal. Robbie fica chateado ao descobrir por quem a menina é apaixonada e para finalizar, David aparece para devolver uma jaqueta que Emile esqueceu em seu carro. Resumindo, o barraco tá armado. Jacob briga com David, por ele ter roubado Emily de Cal. O pai de Jessica briga com Cal achando que ele tem um caso com sua filha e no fim a polícia é chamada para acabar com tudo.

Cal acaba se afastando de sua família, porém os reencontra na formatura de Robbie. Durante o seu discurso, o menino se mostra bem pessimista sobre o amor e fala que não acredita mais em almas gêmeas e amor verdadeiro. Cal o interrompe e faz um discurso menos depressivo sobre o amor.

Amor a Toda Prova é um filme bem fofo que vale a pena ser assistido, não só porque nós temos diversas cenas de Ryan Gosling descamisado, mas sim porque mostra como as relações familiares nem sempre são tão fáceis. Pra mim uma das cenas mais fofas é a do Jacob com a Hannah, quando todo mundo acha que os dois vão ter uma noite selvagem de sexo, eles apenas ficam conversando sobre si mesmos e ela até descobre que ele é daqueles caras que curte assistir ao canal da Polishop e comprar aquelas bugigangas que são vendidas na TV. Ela inclusive testa a cadeira de massagem que ele pagou caríssimo, mas só usou duas vezes. Isso sem contar que nessa mesma cena é revelado qual a tática que ele usa para conseguir com todas as mulheres. Confesso que ri bastante quando ele conta que usa Dirty Dancing – Ritmo Quente (1987) para seduzir as moças.

Enfim, assistam Amor a Toda Prova. Vale muito a pena. O filme é daquelas comédias românticas onde os dois estilos estão bem divididos. Não é uma história boba e chatinha, nem muito clichê. Comédia e romance na medida certa.

Espero que tenham gostado da indicação. Vocês podem até não gostar da indicação de filme, mas tenho certeza que adoraram ver Ryan Gosling por aqui.

Semana que vem tem mais.

Beijos.