Gente, o que está acontecendo com a plataforma Netflix? Novidades sempre tem por lá, mas o problema é que os últimos filmes lançados não foram nada agradáveis, inclusive vou mencioná-los abaixo pra ver se sou eu que estou exigente demais ou vocês concordam comigo. Tenho gostado bastante das séries e documentários, e ultimamente estou dando preferência à eles. 😀

1) Alias Grace

Recomendei algumas semanas atrás a série The Handmaid’s Tale (não tem no Netflix) mais a Alias Grace é série da mesma autora e eu acho que você precisa assistir! A história é de Grace Marks (Sarah Gadon) uma jovem irlandesa de classe média baixa, que decide tentar a vida no Canadá. Contratada para trabalhar como empregada doméstica na casa de Thomas Kinnear (Paul Gross), ela é condenada à prisão perpétua pelo assassinato brutal do seu patrão e da governanta da casa Nancy Montgomery (Anna Paquin). Passados 16 anos desde o encarceramento da imigrante, o Dr. Simon Jordan (Edward Holdcroft) se apaixona por Grace e tenta descobrir a verdade sobre o caso.

2) Ratter

Gosto dos trabalhos da Ashley Benson mais este filme é decepcionante. Atuação ruim e aquele enredo cansativo que vemos em filmes de perseguição, nesta história a perseguição é virtual. Emma (Ashley Benson) é uma universitária que vive sozinha em Nova Iorque. Ela é alvo de um perseguidor, um hacker (Dylan Chalfy) que invade todos os seus dispositivos tecnológicos em posse de Emma, transformando em janelas diretas para os momentos íntimos e pessoais dela. O Hacker fica tão obcecado pela vida de Emma que acaba indo atrás dela.

3) Os Meyerowitz: Família não se escolhe

O filme não é o melhor de todos, mas é um entretenimento divertido para passar o tempo. A história gira em torno de Harold Meyerowitz (Dustin Hoffman) que é o patriarca da família, casaco com Maureen (Emma Thompson) e pai de Matthew (Ben Stiller), Danny (Adam Sandler) e Jean (Elizabeth Marvel). Escultor aposentado e extremamente vaidoso, ele fica satisfeito ao saber que está sendo organizado uma exposição para celebrar seu trabalho artístico. Só que, em meio aos preparativos, Harold adoece e faz com que todos os filhos precisem se unir para ajudá-lo a se recuperar, o que acaba trazendo à tona várias situações do passado.

Já assistiram? Aceito recomendações, hahaha! 😉

Demorei pra fazer este post por motivos de tempo ? mais as indicações de hoje são muito boas. Aliás, duas delas são estreias quentinhas que acabaram de entrar no Netflix, ou seja, ótimo momento pra você conferir antes que esqueça e melhor aproveitar o friozinho que só pede ⛄?? cama + brigadeiro + Netflix, companhias essenciais pra esta época!

1) O Mínimo para Viver

Sou fã dos trabalhos da atriz Lily Collins e ela foi um dos motivos para ver um filme tocante e delicado. Ellen (Lily Collins) é uma jovem que está lidando com um problema que afeta muitos jovens no mundo: a anorexia. Sem perspectivas de se livrar da doença e ter uma vida feliz e saudável, a moça passa os dias sem esperança. Até que um dia, ela encontra Dr. William Beckham (Keanu Reeves) um médico não convencional que desafia a enfrentar sua condição e abraçar a vida, e o melhor tudo pode mudar!

2) Sete Minutos Depois da Meia-Noite

Pra quem ama histórias de fantasia estilo conto de fadas, vai gostar do filme! Assisti por indicação de um amigo e gostei muito. Conor (Lewis MacDougall) é um garoto de 13 anos de idade, com vários problemas na vida. Seu pai é ausente, a mãe sofre um câncer em fase terminal, a avó é uma megera, e ele é maltratado na escola pelos colegas. No entanto, todas as noites Conor tem o mesmo sonho, com uma gigantesca árvore que decide contar histórias para ele, em troca de escutar as histórias do garoto. As conversas com a árvore acabam tendo consequências negativas na vida real, elas ajudam Conor a escapar das dificuldades através do mundo da fantasia.

3) Okja

Ouvi tantos comentários positivos sobre o filme que acabei assistindo, recomendo demais assistir! Lucy Mirando (Tilda Swinton), a CEO de uma poderosa empresa, apresenta ao mundo que uma nova espécie animal foi descoberta no Chile. Apelidada de “super porco”, ela é cuidada em laboratório e tem 26 animais enviados para países parecidos, de forma que cada fazenda que o receba possa apresentá-lo à sua própria cultura local. A ideia é que os animais permaneçam espalhados ao redor do planeta por 10 anos, sendo que após este período participação de um concurso que escolherá o melhor super porco. Uma década depois, a jovem Mija (Seo-Hyun Ahn) convive desde a infância com Okja, o super porco fêmea criado pelo avô. O problema é que ela está prestes a perdê-la devido à proximidade do concurso, então Mija decide lutar para ficar ao lado dela.

Já assistiram? Aceito indicações 😉