Olá pessoal, como estão? Eu estou tão feliz que estou quase explodindo. Hoje eu to correndo com a vida, já que eu viajo amanhã cedo. Mas enfim, vamos ao que realmente interessa. Domingo é Dia das Mães. <3 Aquelas maravilhosas criaturas que Deus criou e nós amamos incondicionalmente. O que mais existe são filmes e séries em que elas são as protagonistas e mostrando que essa “profissão” não é nada fácil e que se isso não é amor, eu de fato não sei o que é.

Para hoje, com ajuda da minha mãe, eu escolhi duas séries em que elas são o foco de tudo. Inclusive escolhi duas séries que são completamente diferentes uma da outra. A primeira é uma comédia estreante e a segunda é um drama veterano.

1 – Mom (2012 – )

mom_

Mom mostra a rotina de Christy (Anna Faris), uma mãe solteira e ex-alcoólatra que trabalha como garçonete em um restaurante chique e freqüenta reuniões dos Alcoólicos Anônimos junto com a sua mãe, Bonnie (Allison Janney) que está desempregada e também é uma ex-viciada em drogas e álcool. Christy é mãe de Violet (Sadie Calvano), uma adolescente de 16 anos – que foi concebida quando sua mãe tinha a mesma idade – que está grávida do namorado, Luke (Spencer Daniels) e Roscoe (Blake Garret), fruto do relacionamento com Baxter (Matt Jones) seu ex-marido e traficante de drogas. No decorrer na série nós acompanhamos a recuperação de Chrity e Bonnie das reuniões do AA, vemos como Violet e Luke lidam com a gravidez da jovem na adolescência e após uma discussão entre mãe e filha, ainda conhecemos o pai de Christy, que até boa parte da história Bonnie afirmava não saber quem era.

A história de Mom parece ser estranha e ninguém dá nada por ela, mas a série em si é bem divertida e engraçada. Tem dias que eu e minha mãe gargalhamos com a relação de Christy e Bonnie. As duas vivem falando que não se dão bem, mas no fundo é possível ver que há amor entre as duas e que elas querem apenas o bem da família. Sem contar que a química entre as atrizes é ótima. Tem episódios que a Allison Janney rouba a cena toda pra ela com suas tiradas e piadas certeiras. Vale a pena tirar um tempinho para dar uma conferida na série.

2 – The Good Wife (2009 – )

the good wife_

The Good Wife conta a história de Alicia Florrick (Juliana Marguiles) uma advogada que assume todas as responsabilidades de sua família e volta a trabalhar quando o marido, o promotor Peter Florrick (Chris Noth), é preso após se envolver em um escândalo sexual e de corrupção. Alicia volta a trabalhar como associada em um famoso escritório em Chicago, e lá ela se reencontra com um antigo amigo da faculdade Will Gardner (Josh Charles), que está realmente curioso para saber como a mulher irá se sair após 13 anos longe dos tribunais. Com o tempo Alicia percebe que terá que se superar e se dar bem por conta própria. Com o tempo ela passa a ganhar mais confiança no trabalho e passa de uma esposa envergonhada para uma poderosa advogada em Chicago, pelo bem de seus filhos Zach (Graham Phillips) e Grace (Makenzie Veja).

Vou confessar que nunca assisti The Good Wife, mas sei que ela é a queridinha de muita gente que eu conheço. Minha mãe já assistiu a vários episódios e disse que a série é de fato muito boa. Aqui a história é bem mais séria, Alicia sai da zona de conforto dela para voltar ao trabalho pelo bem de seus filhos. The Good Wife tem a sua história baseada parcialmente no escândalo de prostituição envolvendo o ex-governador de Nova Iorque, Eliot Spitzer. E ela é uma das séries mais prestigiadas nos Estados Unidos, já tendo ganhado diversos prêmios.

Já assistem alguma das duas? Qual? Espero que gostem das indicações. Um ótimo Dia das Mães para todos. Até semana que vem.

Beijos

Olá pessoal, como estão? O que dizer desse feriado maravilhoso que mal chegou, mas eu já considero pacas? É pra glorificar de pé. Enfim, essa semana eu vim indicar uma série para vocês. Criminal Minds já está na 9ª temporada, mas não use isso como desculpa para não assistir, porque, pra mim, ela á atualmente uma das melhores séries policiais no ar.

criminal minds 1_

Criminal Minds é uma série de drama policial que mostra a rotina da equipe da Unidade de Análise Comportamental (ou BAU – Behavioral Analysis Unit) do FBI, com sede em Quântico, Virginia. Enquanto os detetives comuns procuram por evidências nos crimes, a BAU analisa o comportamento, o modus operandi, o ritual e a assinatura do assassino, assim eles traçam o perfil e chegam a uma lista de suspeitos. Eles analisam os crimes de dentro para fora, procuram entender qual foi o estopim que gerou a vontade do assassino de matar. A partir dessas informações eles conseguem dizer onde ele vive, onde trabalha, uma média de idade e até descobrem o que ele está pensando e conseguem antecipar os próximos movimentos antes dele agir novamente.

SHEMAR MOORE, A.J. COOK, JEANNE TRIPPLEHORN, JOE MANTEGNA, MATTHEW GRAY GUBLER

A equipe da BAU é composta – atualmente – por Aaron Hotchner (Thomas Gibson) o chefe da equipe; Derek Morgan (Shemar Moore) agente especial, especialista em crimes obsessivos e treinador tático do FBI; Dr. Spencer Reid (Matthew Gray Gubler) o mais novo da equipe com um QI de 187 que consegue ler 20 mil palavras por minuto; a agente Jennifer Jareau (A.J. Cook), JJ, que começa como uma especialista em como lidar com a mídia, mas que agora é considerada também uma agente especial; David Rossi (Joe Mantegna) agente especial sênior, que já trabalhou uma vez na BAU, porém se aposentou para escrever livros e dar palestras sobre análise criminal, mas que retorna para o emprego quando um dos agentes, Jason Gideon (Mandy Patinkin), resolve pedir demissão; Dr. Alex Blake (Jeanne Tripplehorn) especialista em linguística do FBI; e Penelope Garcia (Kirsten Vangsness) a técnica em análise de dados e informática da equipe, que foi contratada após ser presa por hackear o site do FBI.

Uma das coisas mais interessantes de Criminal Minds e que a difere das outras séries policiais é justamente o fato de não darem tanta atenção ao crime em si, mas ao assassino e suas motivações. Claro que eles mostram como o suspeito está agindo, isso é essencial para os espectadores acompanharem a linha de pensamento da equipe. A série tem o formato de apresentar toda semana um caso diferente – com algumas exceções – mas, além disso, nós também conhecemos um pouco da vida dos agentes fora do trabalho, como eles são com as suas famílias e o que fazem em suas folgas.

criminal minds 3_

Criminal Minds não é o tipo de série que recomendo para fazer uma maratona. Porque olha, mexe muito com o emocional. Isso pode ser uma frescura minha, mas tem alguns casos que de fato causam muita repulsa e agonia, e acredito que não seja muito bom ter isso por muitas horas, acho que ninguém gosta disso. Tirando isso, eu recomendo que assistam todas as temporadas, porque de fato a série é muito boa e vale a pena cada episódio, porque além deles serem excelentes, você acaba se conectando com a equipe do BAU.

Alguém assiste Criminal Minds? O que acha? Pessoal, feliz Páscoa para todos. Semana que vem tem mais.

Beijos.