Demorei e enrolei demais para finalizar o livro deste post.  A leitura foi feita em PDF, ainda não estou acostumada com leituras digitais (amo livro de papel ). Estava afim de uma leitura mais reflexiva e com detalhes importantes de história e sabedoria. O escolhido foi A Costureira de Khair Khana, quem lê o título não deve gostar tanto, mas garanto à você a leitura é inspiradora e surpreendente.

acostureirakk

O livro retrata a vida de Kamila e seus familiares, em um período político de grandes conflitos e controle na cidade de Cabul. Uma realidade com muitas dificuldades, violência e mudanças imposta pelo regime Talibã às mulheres afegãs. Kamila é uma jovem professora e batalhadora que luta para conquistar seus sonhos. Impedida pelo regime de fazer tudo, ela procura criar alternativas de sobrevivência para ajudar sua família e outras inúmeras mulheres que assim como ela, precisam manter suas famílias.

“Paz e uma chance de perseguir nossos sonhos, Kamila pensou consigo mesma, uma noite em que as explosões que faziam tremer o chão em que pisava, pareciam não ter fim. Isso é tudo que podemos ousar esperar.” (página 111)

Até que um dia, Kamila compartilha a ideia com sua irmã Malika e juntas resolvem trabalhar com costura. A ideia é arriscada, já que desobedece leis e ordens. Porém, Kamila abandona o medo e vai à luta correndo atrás de pessoas que desejam comprar e vender roupas femininas para o comércio local. Tudo isso para manter seus cinco irmãos e dar oportunidade a milhares de mulheres que não podiam estudar e muito menos sair de casa.

Os hábitos, palavras (inclusive há várias delas escritas no livro) e a cultura do local são descritos em detalhes e com muita clareza. E nos faz compreender que no meio de tanto caos a vida seguia e aos poucos o empreendimento de Kamila contribuía para a transformação de um país. Através de todos estes problemas como fome, miséria e desanimação, Kamila conseguiu lutar e transformar não só sua história, como também a história de todas as mulheres do Afeganistão.

**A biografia é verídica, todos os relatos e informações foram pesquisados pela jornalista Gayle Lemmon, contém 132 páginas. A história aconteceu entre os anos 1995 e 2001.

A leitura fluiu super bem, o livro é cativante e muito interessante. Vocês já leram? Gostam de leituras neste estilo?