Eu li: A Graça da Coisa

Mais um livro concluído! Dessa vez, resolvi ler crônicas e nada melhor que ser dela: Martha Medeiros. Vocês já perceberam meu amor incondicional pelas palavras dessa escritora tão verdadeira e fantástica, não é mesmo? Recomendo demais os livros dela, são profundos e te ajudam, seja nos momentos divertidos da vida, como nos tristes e felizes também. Martha nos leva a reflexão e inspiração para seguir a vida de um jeito leve!

“Conscientize-se de que sua inteligência é superior as suas medidas, que ser magrinha não atrai amor instantâneo, que sua personalidade é um cartão de visitas, que a felicidade é a melhor maquiagem, que ser leve é que emagrece.” Página 66

marthamed

No livro A Graça da Coisa, Martha mostra cara a cara que não estamos sozinhos nessa vida corrida diária de estudos, cobranças, preocupações diárias, afim de garantir um trabalho digno, realizar um sonho, conquistar uma meta e garantir o futuro certo para nós. Seus textos seguem o ritmo da leveza e sabedoria, através das palavras, Martha aborda sobre os temas que adoramos ler: amor, problemas nos relacionamentos, o cinema, sua paixão pela literatura, as relações familiares entre muitos outros temas que nos levam a pensar em cada momento de nossas vidas.

“Pessoas que não circulam, não possuem amigos, não se informam, não leem, enfim, pessoas que não abrem seus horizontes tornam-se preconceituosas e mantem-se na estreiteza da sua existência.” Página 165

Vou relevar um segredinho pra vocês, este foi o livro dela que não me conquistou de cara, isso porque alguns textos são muito bons e outros bobos, fatos e histórias que não atraem o leitor, sabe? Foram poucas crônicas que me prenderam e fizeram eu salvar trechos no meu bloquinho de notas (sim, salvo para pregar no meu quadro de fotos :D, vocês fazem isso também?). Este foi o único ponto negativo do livro. Os trechos destacados no post foram dos textos que eu mais gostei, seguindo sequência lá de cima para baixo os nomes são: O Macaco Branco, Empatia, O Michelangelo de Cada Um.

“Amadurecer é passar por esse refinamento, deixando para trás o que for gordura, o que for pastoso, o que for desnecessário, tudo aquilo que pesa e aprisiona, a matéria inútil que impede a visão do essencial, que camufla a nossa verdade. O que o tempo garimpa em nós? O verdadeiro sentido da nossa vida.” Página 215

E vocês, já leram A Graça da Coisa? Gostam de ler crônicas?

Tá rolando o questionário do blog, já respondeu? Se a sua resposta é não, clica aqui!

Atenção: Se você é blogueira e têm uma conta ativa no Instagram essa crônica é pra você!

Fazia um tempão que eu queria publicar esse texto aqui no blog mais sempre achava que faltava algum detalhe ou as informações estavam bagunçadas e eu falando abobrinha demais. Mas, tomei coragem e vim compartilhar pra vocês o que eu venho achando dos comentários desnecessários que andam circulando por lá!

Eu fico aqui quietinha descendo a tela do meu celular. Não importa o lugar que eu estou, digo de passagem sou uma viciada por redes sociais de fotos e se elas forem bonitas. Desculpe, ficarei alimentando mil na sua conta.

Adoro os registros especiais que as pessoas publicam com uma foto e legenda bonita, compartilhando alguma informação, notícia, novidade, opinião sobre determinado produto, comida, viagem e roupa. Mas me pergunto, como tem sido difícil agradar todo mundo, não é? Qualquer foto postada gera repercussão e muitas críticas de porque a pessoa não sorriu na foto, porque ela não estava com a melhor amiga que diz que é blogueira, porque usa uma determinada marca e comenta o que usa no Instagram, porque fez publipost e não mencionou que era publicidade, porque uma blogueira malha mais que a outra, entre muitos outros motivos e detalhes bobos que as pessoas insistem em reparar.

Fico de olho nas blogueiras que sigo e vejo a “sinceridade” das pessoas que expõem suas verdades e opiniões maldosas a respeito de um look do dia, de um exercício na academia, das gordurinhas que incomodam. Mas, que no final incomodam você que comentou na foto apenas para “deixar a sua opinião”, pois eu aposto que quem publicou está sorrindo de bem para o espelho.

DDBfoto

Por outra hora descarregam suas opiniões ofendendo a pessoa sem mesmo a conhecer ou nunca tê-la visto pessoalmente. Eu acho desnecessário agredir alguém que você nunca conheceu pessoalmente. Ás vezes eu fico pensando: já imaginou se as pessoas tivessem coragem de falar tudo o que acham na cara da pessoa fora do Instagram? Atire a primeira pedra se você falaria!

Eu confesso pra vocês: sigo muitas blogueiras de sucesso e muitas fotos que elas publicam eu curto outras não, acho feio, não usaria e por aí vai. Mas, não entro em guerra para discutir ou fazer um comentário maldoso na foto. Eu gosto mais dos elogios, gosto mesmo de comentar “Amei o seu sapato”, “Você tá diva, arrasou”, “Sua maquiagem está perfeita” não vejo problema nenhum em elogios. Afinal, o que é bonito e me agrada, eu curto mesmo e se possível dou like duas vezes.

É inútil e perda de tempo ofender alguém que você não conhece. Respeitar o espaço do outro é essencial e todo mundo deveria exercitar isso todos os dias. Cabe a você ter o bom senso, sabedoria e além de tudo respeito na escolha do outro. Cada um sabe o que come, o que compra, o que veste e o que gosta. Não precisa agradar ninguém.

E como disse Clarissa Côrrea num de seus textos publicados em sua Fan Page “Por favor, não precisa dizer tudo aquilo que você pensa a meu respeito. Eu mesma não suporto meus defeitos e luto todos os dias para vencê-los.”

Simples assim, não gosta dê o “Unfollow” e boa sorte 😉

O que vocês acham desses comentários desnecessários? Já tinham percebido?

Crônica: Viajar!

Viajar é explorar horizontes, abrir seu leque de oportunidades é aprender e conhecer uma cidade, um país, uma nova cultura. Viaje para outro lugar, para uma casa de praia, uma ilha deserta, para as montanhas, para o mato, para a neve, sozinho, acompanhado ou com os amigos. Viaje dentro de um livro, um filme, uma fotografia, uma arte em uma história. Viaje morrendo de medo, abandone tudo, desapega, enlouqueça, deixe tudo para trás.

large

Aproveite, inspire-se, anote tudo o que vier em mente, experimente, conheça, compre e além de tudo sorria para você de você, para os outros e para o mundo. Abasteça seu coração de sonhos, invista neles como se fosse os últimos dias de sua vida, gaste o que for preciso, carregue malas vazias, pesadas ou cheias de bobagens.

Viajar é perigoso, é arriscado, é aventura não importa se faça sol ou chuva. Ás vezes é preciso viajar porque lava a nossa alma por dentro e por fora. Viajar é trazer experiências que jamais imaginamos ter, é aprender, é buscar um novo olhar sob as coisas que existem, é carregar bagagens cheias de histórias pra contar e dividir com as pessoas que você ama. Viajar sem destino é corajoso e fazendo a escolha certa é divertido. Viajar é um dos melhores investimentos que a gente garante na vida, revelamos um pouco de nós e compartilhamos sobre nós.

Resolvi selecionar mais um texto que eu escrevi e gosto muito!! Toda vez que eu leio esta crônica dá uma vontade de viajar de mochilão pelo mundo. Me contem o que sentiram quando leram o texto! 😉

Eu li: Montanha Russa

No ano passado comprei muitos livros e acabei não lendo todos mais no meio dessa seleção não pude deixar uma leitura de fora, o livro da vez foi Montanha Russa da escritora Martha Medeiros. O que posso dizer do livro? Realista, simples e cheio de reflexões pra você carregar pra vida inteira. Mais uma vez Martha nos relata sobre vários assuntos como relacionamento, cultura, amor, decepções e ensinamentos de uma forma clara e objetiva, sem preconceitos e como as coisas devem ser.

“Livro nos dá conhecimento, uma visão aberta da vida e nos ensina a escrever melhor. Não nos torna chatos nem nos salva de sê-los. Chato é quem não nos faz rir.”(pg 37)

MontanhaRussa

“Crescer requer esforço mental. Obriga a tomadas de consciência. Exige mudanças. Crescer é a antirrepetição de ideias, é a predisposição para o deslumbramento, é assumir as responsabilidades por todos os nossos atos, os bem pensados e os insanos. Crescer dá uma fisgada diária no peito, embrulha o estômago, tem efeitos colaterais. Machuca” (pg 184)

Sou suspeita para falar das obras de Martha, pra mim todas são excelentes! Gosto muito do jeito que ela escreve, sem medo, provocando um olhar diferente sob todas as coisas e desbravando nossas expectativas e desejos. Quem gosta de ler crônicas a escritora é um prato cheio para devorar na medida certa, eu recomendo ♥. Dessa vez, li o livro com um marca texto do lado, fui marcando tudo o que eu precisava ler no momento. Simplesmente uma leitura incrível para o começo de ano 😉 .

“O tempo só será generoso na medida em que você usá-lo para fazer coisas mais produtivas: procurar amigos sumidos, praticar um esporte, retomar um projeto adiado, viajar. As atenções têm que estar voltadas para os lados e para a frente”. (pg 109)

Despedida!

Mais uma etapa se encerra este ano. O final de dezembro se aproxima, as lojas estão cheias, pessoas comprando, consumindo, gastando o que economizaram ao longo do ano, enfrentando filas e quem se importa com isso? É Natal, amigo oculto, tempo de festas, todo mundo merece presente, eu mereço e você também. Vou confessar para você, achei que dezembro nunca chegaria ao fim, passei os dias me perguntando “e que dia é hoje?”, pois não via a hora de dar tchau.

Pra mim dezembro é um mês de reflexão e organização, concluir os estudos, trabalhar, pensar no futuro, decidir a leitura do próximo livro, anotar o que será feito para o próximo ano e o que eu jamais achei que eu nunca faria e estou fazendo: criar listas de coisas para fazer. Isso mesmo, minha memória não anda sendo minha melhor amiga e vem me atrapalhando bastante. Portanto, se você é assim como eu, faça o mesmo. Garanto, vai facilitar o seu dia e você pode colocar em prática tudo o que você deixou de fazer este ano e pensamento positivo, pois tudo será realizado com sucesso no ano que vem!

large (1)

Antes que vocês me questionem o título do texto, não é nada relacionado ao blog. Pelo contrário, ano que vem quero o Dia de Brilho com conteúdo ainda mais interativo e um espaço gostoso de ser lido, ou seja, teremos novos conteúdos no blog, aguardem!

A despedida vem pelo fato de ter sido um ano de muito aprendizado, lições de vida e amadurecimento pessoal. Quero agradecer a todas as leitoras pelos comentários, ideias, inspirações, visitas e trocas de ideias comigo através das Redes Sociais, isso é fundamental pra quem faz o blog e motiva a blogueira que vos escreve a continuar aqui 😀 . O blog é feito pra vocês e a todo o momento algo é anotado, pensado e dividido com carinho para ser lido por vocês.

Bom, sem mais enrolação desejo um Feliz Natal, repleto de paz, bençãos e amor. E um excelente 2014 para vocês, que renovem a esperança, sejam pacientes com vocês e com os outros e não deixem de sorrir. Resumindo um ano cheio de brilho pra todos nós!

Vou tirar uns dias de folga do blog para refrescar a cabeça. Nos vemos em 2014!!

Estarei atualizando: Instagram  – Twitter Facebook

Beijokas 😉

Para ler: Topless!

Tenho lido bastante coisa ultimamente, mais não deixo de selecionar um bom livro para descontrair nas horas vagas. E o escolhido da vez foi Topless de Martha Medeiros. Confesso que a cada livro que leio dessa belíssima escritora me apaixono mais por suas palavras, reflexões e as diversas maneiras de como ela observa e expõe alguma ideia, uma história e um momento marcante sobre o Brasil ou até mesmo de sua vida.

Os livros da nova era

Não nego que viver sem computador, hoje, é o mesmo que viver sem geladeira. Mas não consigo imaginar o livro deixando de ser um objeto para ser um equipamento. O livro podendo ser apagado. As livrarias se transformando em lojas de disquetes. Todos os volumes de uma biblioteca cabendo numa única gaveta. Como serão as sessões de autógrafos? Que graça terão as aulas de inglês, se o book não estará mais on the table?

Página 37

toplesslivro

Este livro é de 1997 e só agora tive a oportunidade de devorá-lo e gostei de vários textos. Mas 3 me chamaram bastante atenção, pelo fato de mostrar o que temos visto nos dias atuais. A tal da felicidade instantânea de querermos tudo agora, os livros de papel que estão sendo abandonados e a competição e concorrência que nunca deixou de existir.

A felicidade no fim do século

[…] A felicidade conquistada lentamente, passo a passo, virou uma vaga lembrança. Estamos vivendo a era da felicidade instantânea. Precisamos, para ontem, de um jatinho particular, um apê em Nova York e um nariz novo. Nada que uma Supersena acumulada não resolva.

Porque esta urgência de viver? Simples: porque a morte tem chegado à bala. A violência urbana mudou o nosso conceito de felicidade. De dia comemos um churrasco com a família, à noite podemos estar enterrando um amigo morto estupidamente num acidente de carro. […]

Página 17

De forma bem descontraída os textos são leves e conseguimos captar cada percepção sobre as ideias e os momentos descritos por Martha em cada crônica. O livro é composto por 54 crônicas e você consegue ler ele em 2 dias!

A modéstia sobre ao pódio

Competição. Esta é a palavra de ordem do mundo atual, e que já não se restringe ao empresariado. Vale para tudo: para conseguir uma vaga para estacionar, para arranjar marido, para se destacar neste mundo de clones. Não somos mais irmãos, somos concorrentes.

Página 168

Vocês já leram esse livro?