Eu li: A Graça da Coisa

Mais um livro concluído! Dessa vez, resolvi ler crônicas e nada melhor que ser dela: Martha Medeiros. Vocês já perceberam meu amor incondicional pelas palavras dessa escritora tão verdadeira e fantástica, não é mesmo? Recomendo demais os livros dela, são profundos e te ajudam, seja nos momentos divertidos da vida, como nos tristes e felizes também. Martha nos leva a reflexão e inspiração para seguir a vida de um jeito leve!

“Conscientize-se de que sua inteligência é superior as suas medidas, que ser magrinha não atrai amor instantâneo, que sua personalidade é um cartão de visitas, que a felicidade é a melhor maquiagem, que ser leve é que emagrece.” Página 66

marthamed

No livro A Graça da Coisa, Martha mostra cara a cara que não estamos sozinhos nessa vida corrida diária de estudos, cobranças, preocupações diárias, afim de garantir um trabalho digno, realizar um sonho, conquistar uma meta e garantir o futuro certo para nós. Seus textos seguem o ritmo da leveza e sabedoria, através das palavras, Martha aborda sobre os temas que adoramos ler: amor, problemas nos relacionamentos, o cinema, sua paixão pela literatura, as relações familiares entre muitos outros temas que nos levam a pensar em cada momento de nossas vidas.

“Pessoas que não circulam, não possuem amigos, não se informam, não leem, enfim, pessoas que não abrem seus horizontes tornam-se preconceituosas e mantem-se na estreiteza da sua existência.” Página 165

Vou relevar um segredinho pra vocês, este foi o livro dela que não me conquistou de cara, isso porque alguns textos são muito bons e outros bobos, fatos e histórias que não atraem o leitor, sabe? Foram poucas crônicas que me prenderam e fizeram eu salvar trechos no meu bloquinho de notas (sim, salvo para pregar no meu quadro de fotos :D, vocês fazem isso também?). Este foi o único ponto negativo do livro. Os trechos destacados no post foram dos textos que eu mais gostei, seguindo sequência lá de cima para baixo os nomes são: O Macaco Branco, Empatia, O Michelangelo de Cada Um.

“Amadurecer é passar por esse refinamento, deixando para trás o que for gordura, o que for pastoso, o que for desnecessário, tudo aquilo que pesa e aprisiona, a matéria inútil que impede a visão do essencial, que camufla a nossa verdade. O que o tempo garimpa em nós? O verdadeiro sentido da nossa vida.” Página 215

E vocês, já leram A Graça da Coisa? Gostam de ler crônicas?

Tá rolando o questionário do blog, já respondeu? Se a sua resposta é não, clica aqui!

Atenção: Se você é blogueira e têm uma conta ativa no Instagram essa crônica é pra você!

Fazia um tempão que eu queria publicar esse texto aqui no blog mais sempre achava que faltava algum detalhe ou as informações estavam bagunçadas e eu falando abobrinha demais. Mas, tomei coragem e vim compartilhar pra vocês o que eu venho achando dos comentários desnecessários que andam circulando por lá!

Eu fico aqui quietinha descendo a tela do meu celular. Não importa o lugar que eu estou, digo de passagem sou uma viciada por redes sociais de fotos e se elas forem bonitas. Desculpe, ficarei alimentando mil na sua conta.

Adoro os registros especiais que as pessoas publicam com uma foto e legenda bonita, compartilhando alguma informação, notícia, novidade, opinião sobre determinado produto, comida, viagem e roupa. Mas me pergunto, como tem sido difícil agradar todo mundo, não é? Qualquer foto postada gera repercussão e muitas críticas de porque a pessoa não sorriu na foto, porque ela não estava com a melhor amiga que diz que é blogueira, porque usa uma determinada marca e comenta o que usa no Instagram, porque fez publipost e não mencionou que era publicidade, porque uma blogueira malha mais que a outra, entre muitos outros motivos e detalhes bobos que as pessoas insistem em reparar.

Fico de olho nas blogueiras que sigo e vejo a “sinceridade” das pessoas que expõem suas verdades e opiniões maldosas a respeito de um look do dia, de um exercício na academia, das gordurinhas que incomodam. Mas, que no final incomodam você que comentou na foto apenas para “deixar a sua opinião”, pois eu aposto que quem publicou está sorrindo de bem para o espelho.

DDBfoto

Por outra hora descarregam suas opiniões ofendendo a pessoa sem mesmo a conhecer ou nunca tê-la visto pessoalmente. Eu acho desnecessário agredir alguém que você nunca conheceu pessoalmente. Ás vezes eu fico pensando: já imaginou se as pessoas tivessem coragem de falar tudo o que acham na cara da pessoa fora do Instagram? Atire a primeira pedra se você falaria!

Eu confesso pra vocês: sigo muitas blogueiras de sucesso e muitas fotos que elas publicam eu curto outras não, acho feio, não usaria e por aí vai. Mas, não entro em guerra para discutir ou fazer um comentário maldoso na foto. Eu gosto mais dos elogios, gosto mesmo de comentar “Amei o seu sapato”, “Você tá diva, arrasou”, “Sua maquiagem está perfeita” não vejo problema nenhum em elogios. Afinal, o que é bonito e me agrada, eu curto mesmo e se possível dou like duas vezes.

É inútil e perda de tempo ofender alguém que você não conhece. Respeitar o espaço do outro é essencial e todo mundo deveria exercitar isso todos os dias. Cabe a você ter o bom senso, sabedoria e além de tudo respeito na escolha do outro. Cada um sabe o que come, o que compra, o que veste e o que gosta. Não precisa agradar ninguém.

E como disse Clarissa Côrrea num de seus textos publicados em sua Fan Page “Por favor, não precisa dizer tudo aquilo que você pensa a meu respeito. Eu mesma não suporto meus defeitos e luto todos os dias para vencê-los.”

Simples assim, não gosta dê o “Unfollow” e boa sorte 😉

O que vocês acham desses comentários desnecessários? Já tinham percebido?