Ultimamente eu só tenho preferido assistir filmes de ação ou drama e vocês sabem muito bem disso, porque a maioria dos que eu assisto costumo compartilhar aqui no blog. Dei um tempo nos filmes românticos, mas como boa parte das leitoras são mulheres e eu sei que vocês se derretem por romancezinho bobo, né? Aproveitei pra dar um tempo na sequência de filmes ação-drama e assisti na semana passada A Escolha filme do querido (ou odiado?) Nicholas Sparks.

aescolhafilme

O filme é baseado no livro A escolha e conta a história de Travis Parker (Benjamin Walker) um veterinário, que tem uma linda casa a beira-mar na pequena cidade de Beaufort, Carolina do Norte, amigos leais, mas seus relacionamentos amorosos são passageiros e para ele isso basta. Até que um dia em uma reunião com seus amigos no quintal de casa ele conhece a nova vizinha Gabby (Teresa Palmer) a garota vai até a casa dele para reclamar que o cachorro dele deixou a cadela dela prenha. Travis provoca Gabby deixando-a ainda mais irritada.

Apesar de suas tentativas com Gabby, a garota parece ter mais raiva dele. Mas, tudo tende a dar certo já que eles possuem uma coisa em comum: amam cachorros. E por essas circunstâncias os dois acabam se conhecendo melhor e darem uma chance ao relacionamento “vizinho-vizinha”. E aí que o sentimento começa a surgir, após um convite de Travis para Gabby passar uma tarde com seus amigos em uma ilha os dois se aproximam ainda mais. Gabby aceita já que Ryan (Tom Welling) seu namorado está viajando à trabalho.

a escolha

O sentimento dos dois começa a ficar mais forte quando Gabby convida Travis para jantar em sua casa, os dois acabam se beijando e passando mais tempo juntos. A garota acaba terminando seu relacionamento com Ryan para viver ao lado de Travis. O relacionamento é um pouco conturbado já que Travis faz questão de irritar Gabby, até que um dia ele pede ela em casamento, os dois se casam e acabam tendo 2 filhos lindos, mas o conflito entre os dois continua mesmo assim.

Confira o trailer:

O filme possui bastante clichês, aquela coisa melosa e dramática que Nicholas faz questão de mostrar em seus romances. Achei o filme bem bom, teve um final menos sofrido como dos outros filmes dele que eu já assisti. Posso dizer que eu me surpreendi com o final, acabei não falando na resenha, justamente pra vocês assistirem. Caiu algumas lágrimas aqui, confesso hahaha! O longa tem ótima fotografia e trilha sonora! 😉

E aí, já assistiu?

Bom dia, gente! Como vocês estão nessa sexta-feira? Hoje eu trouxe pra vocês a crítica de um filme baseado em um dos livros de Nicholas Sparks, O melhor de mim. Pra quem é fã da literatura americana, no mínimo já ouviu falar desse autor e dos seus livros, que já renderam em seguida vários filmes, como “A última música” e “Um amor para recordar”. Eu, particularmente, acho os romances do Sparks bastante água com açúcar, e já deixei de ler os livros para esperar pelos filmes!

o_melhordemim

Em O melhor de mim, o casal principal é formado por Dawson (James Marsden) e Amanda (Michelle Monaghan), que se conhecem durante a adolescência noS anos 90 e acabam se apaixonando. É uma história clichê de amor impossível – Amanda vem de uma família rica de uma pequena cidade da Louisiana e Dawson vive dificuldades ao lado de seu pai “vilão” e os dois irmãos são tão ruins quanto.

A trama se passa nos dias de hoje após anos de separação, quando Dawson e Amanda recebem uma ligação informando o falecimento de um amigo. Tendo seus nomes vinculados no testamento do falecido, os dois são obrigados a retornar à cidade natal e então acontece o reencontro. A partir daí, as cenas são revezadas por flashbacks e os dias de hoje, mostrando o real motivo da separação dos dois.

melhordemimfilme

Pra ser bem sincera, não é pior e nem melhor do que eu imaginei que seria. É bem filme de sessão da tarde e eu com certeza acho que a escolha dos personagens não foi boa, pois não houve química e nem identificação. E quanto ao desfecho do filme, me decepcionou mais ainda!

Fique com o trailer:


E você, o que achou do filme?