Eu li: Fiquei com seu número

No ano passado li bastante livros que gostei e entre eles (o último do ano) foi o Fiquei Com Seu Número da Sophie Kinsella, nunca tinha lido nada da autora e gostei muito da leitura. O livro narra a história a jovem Poppy Wyatt uma fisioterapeuta que está prestes a se casar com o homem perfeito. Porém, numa bela tarde, reunida com as amigas para mostrar seu anel de noivado ele incrivelmente desaparece e Poppy não consegue encontrá-lo, visto que e o anel de noivado está na família do noivo há três gerações e para completar seu celular é furtado no meio da rua enquanto fazia uma ligação.

Fiqueicomseunumero

Fiquei Com Seu Número – 460 páginas – Sophie Kinsella

Desorientada e completamente sem comunicação em Londres, Poppy encontra um celular jogado no lixo no hotel que está hospedada. Após isso, ela comunica os funcionários para que liguem para o seu novo número assim que encontrarem seu anel de noivado. Acontece que o dono do aparelho, não gosta nenhum pouco desta história, Sam Roxtom o executivo não suporta a ideia de haver alguém estranho bisbillhotando suas mensagens e vida pessoal. Mas, depois de alguns torpedos, Poppy e Sam se entendem e com o tempo os dois acabam se aproximando ainda mais um do outro.

Agora com o anel e celular furtado, Poppy vive um dilema enorme de como agradar os pais de Magnus seu noivo e o que dizer sobre o anel de noivado desaparecido de seu dedo. Além de todos estes problemas, Poppy ainda convive com o estresse para organizar seu casamento, sorte que tem Lucinda para ajudá-la com todos os detalhes. E colabora com Sam repassando os e-mails, lendo e respondendo a maioria deles e adicionando o nome do executivo ao final. Acontece que muitos dos e-mails respondidos não agradam Sam e isso gera muita confusão para o lado de Poppy.

O livro em si é divertidíssimo, a história é cativante e há uma reviravolta no final. Existem vários acontecimentos como Poppy rouba no jogo de palavras cruzadas da família de Magnus com a ajuda de Sam via torpedos, Poppy descobre que o seu noivo não é um príncipe encantado e Lucinda não é tão verdadeira quanto parece.

A história é bem parecida com os livros da Meg Cabot, com mensagens de celular, troca de e-mails e notas de rodapé bem engraçadas que complementam ainda mais a leitura.

E vocês, já leram este livro? Recomendam algum outro da Sophie Kinsella?

Assim que terminei o livro da resenha passada (confira aqui) já aproveitei e escolhi outro para não perder o ritmo de leitura. Até porque minha lista de livros está enorme e o ano tá voando, cadê tempo? Daí, minha escolha foi o livro Quando Uma Garota Entra Em Um Bar. Ele apresenta uma narrativa curiosa e divertida, ao qual o leitor sempre terá alternativas que o surpreenderão.

A proposta do livro é diferente, porque a personagem principal da história é você (leitora!), ou seja, não há um nome específico a não ser o seu. É você quem comanda as decisões de toda sua história. Contém situações divertidas e não há uma sequência exata de páginas (você pode começar na 7, ir para 80, seguir para 200 e voltar para a página 19), isto porque enquanto você avança as páginas do livro há um leque de opções como: “Se decidir continuar no bar, vá para página 11”, “Se decidir em ir visitar a exposição, vá para a página 50”. O livro é um convite aberto para a imaginação de novas sensações e escolhas.

quandoumagarotaentraemumbar

A história começa: Você está se arrumando para encontrar sua amiga Melissa em um bar e a primeira coisa que você precisa decidir é que tipo de lingerie vai usar. Feita sua escolha, você vai para o bar, assim que entra repara um cara bonito próximo a você, que também te observa. Após isso, você vai até o bar e pede um drink e vê que o barman também é um gato. Esperando sua amiga você recebe uma mensagem dela avisando que não vai poder te encontrar porque ficou presa no trabalho.

Você acaba ficando sozinha em um bar super interessante, então a única coisa que resta é curtir a noite,  até porque as possibilidades são enormes. Quando você vai ao banheiro, recebe um convite para conhecer uma exposição de uma mulher que conheceu enquanto estava no banheiro. É nesta hora que você começa a tomar as decisões do que fazer naquela noite. Você vai permanecer no bar? Pegar um cara mais velho? Tomar um outro drink? Visitar a exposição? Entre várias outras alternativas descritas no livro.

Você tem a opção de ler o livro por inteiro e contar 5 ou mais histórias diferentes. Eu fiz isso e me diverti bastante com cada situação. O ponto positivo do livro é que você pode reler e testar todas as opções possíveis. O ponto negativo é que o final sempre será o mesmo, não tão intenso como foi os fatos de cada momento da história.

Nunca tinha lido nada relacionado com esta proposta e simplesmente gostei muito. Recomendo a leitura para quem desanimou e está procurando algo bem motivador para voltar a ler. 😉

Ahhh, um último detalhe não menos importante: O livro é erótico, ou seja, cada decisão que você tomar vai te levar para uma noite inesquecível.